Coluna da Tainá Borela
Tainá Borela
Do Mais Goiás

Maioria da bancada goiana na Câmara vota favorável a compra de vacinas contra a Covid-19 por empresas

Apenas os deputados federais Rubens Otoni, Elias Vaz e Flávia Morais votaram contra a matéria que foi aprovada na Câmara nesta quarta-feira

Câmara aprova concessão de crédito para pequenas empresas
A Câmara dos Deputados concluiu há pouco a análise da medida provisória que concede uma linha de crédito especial para pequenas e médias empresas pagarem a folha de salários durante a pandemia do novo coronavírus. A matéria segue para o Senado Federal.

Dos 17 deputados federais de Goiás, 13 votaram favoravelmente à compra de vacinas contra a Covid-19 por empresas. O projeto prevê que as empresas privadas possam comprar vacinas e destinar metade para a imunização de seus funcionários. A outra metade precisa ser doada ao Sistema Único de Saúde (SUS). Apenas três votaram contra: Elias Vaz (PSB), Flávia Morais (PDT) e Rubens Otoni (PT). “Este projeto é um crime contra a Saúde Pública. Não existe isso em lugar nenhum do mundo. Vacinação tem que ser controlada pelo SUS”, afirma Otoni. Os favoráveis alegam que isso aceleraria a vacinação. Quem se opõe alega que configura uma furada de fila, além do descumprimento do Plano Nacional de Imunização. O petista acredita que caso o PL seja aprovado também no Senado, será barrado no Superior Tribunal Federal (STF). “Este projeto faz parte de uma visão atrasada de nação, que insiste nos privilégios de quem controla o poder econômico. Não podemos aceitar isso”, pontuou. A votação da matéria, de autoria do deputado federal Hildo Rocha (MDB-MA), foi concluída no incio da noite desta quarta-feira (7) e segue agora para apreciação do Senado Federal.

 

Para acelerar

Segundo o Projeto do deputado maranhense, os empresários poderão comprar imunizantes que não tiveram aval da Anvisa, desde que autorizados por agências reconhecidas pela OMS.

Cobiçado

Não só o governador Ronaldo Caiado tenta se aproximar do presidente do MDB, o ex-deputado federal Daniel Vilela. Na semana passada, durante o ápice da crise entre o MDB e o prefeito Rogério Cruz (Republicanos), o ex-governador Marconi Perillo (PSDB) ligou para Daniel para desejar “força” ao emedebista.

Indiretas

Na mesma semana, o presidente do PP de Goiás, Alexandre Baldy, que já foi aliado de Daniel, também fez uma postagem de #tbt, em seu perfil oficial no Instagram, em que trazia um registro da época em que era Ministro da Cidades e, despretensiosamente, colocou uma foto em que aparece ao lado do emedebista durante reuniões em Brasília.

Por onde andas

Por falar em Baldy, fontes próximas ao pepista garantem que ele vai à Brasília semanalmente para reuniões com o presidente da Câmara, Arthur Lira (PP) e com o Presidente Jair Bolsonaro.

Barrado

Outro cotado para assumir uma pasta na Prefeitura de Goiânia, foi o deputado estadual Vinícius Cirqueira (PROS). Mas a ideia não foi adiante devido aos problemas do deputado com a Justiça Eleitoral.

Amigas

Próximas desde quando foram colegas na Câmara Municipal, a vereadora Sabrina Garcêz e a Secretária Municipal de Políticas Para Mulheres, Tatiana Lemos, têm orquestrado ações em conjunto da Secretaria com o trabalho de Sabrina no Legislativo municipal.

 Foco

Politicamente, Sabrina e Tatiana trabalham com foco nas eleições de 2022. Nos bastidores da Câmara, comenta-se que Garcêz, que está no seu segundo mandato de vereadora quer tentar uma vaga na Câmara Federal, e Tatiana está de olho em uma cadeira na Assembleia Legislativa, onde sua mãe, a ex-deputada Isaura Lemos, teve cinco mandatos consecutivos no legislativo estadual.