Comportamento

Relacionamento abusivo: você está em um?

É muito difícil pra uma mulher admitir que está em um relacionamento abusivo. Ninguém quer abrir mão da idealização de relacionamento que criou.


Altemar Santos
Do Mais Goiás | Em: 31/05/2016 às 14:08:26


É muito difícil pra uma mulher admitir que está em um relacionamento abusivo. Ninguém quer abrir mão da idealização de relacionamento que criou. Aprender a aceitar que atitudes abusivas não são fatos isolados nos relacionamentos, é também outro desafio doloroso de se enfrentar.

Todo mundo conheceu, na infância, alguém que a galera do bairro chamava de “mulher de vagabundo”. É, aquela mulher casada com um homem que lhe batia religiosamente toda semana e mesmo assim ela não o abandonava. O bairro inteiro, provavelmente dizia que ela não ia embora porque gostava de apanhar. É difícil pra qualquer mulher que esteja em um relacionamento abusivo, admitir que hoje, a “mulher de vagabundo”, é ela. Ela só começa se enxergar como tal quando o abuso sai da linha psicológica e vai para a linha física.

Fomos ensinadas a competirmos umas com as outras, a duvidarmos umas das outras, a nos temermos, mas não nos ensinaram a exercer compaixão e sororidade pelos dramas que nos cercam muitas vezes tão de perto. Pouquíssimas são as pessoas que se disponibilizam a entender que a mulher que permanece em um relacionamento abusivo, permanece porque não consegue sair, porque está com a autoestima e autoconfiança no chão, e simplesmente, não consegue pegá-las. Pouquíssimas são as pessoas que ao contrário de criticar, estendem a mão e chamam a atenção da vítima para a necessidade de ajuda profissional.

Bem, se você está em um relacionamento onde seu marido/namorado te ridiculariza, diminui sua capacidade de raciocínio, quebra celulares e coisas quando fica estressado, implica com todos os seus amigos, te pega pelo braço, te pega pelos cabelos, te xinga de piranha, vagabunda se ao menos sonha em te imaginar conversando com outro homem. Se você está em um relacionamento no qual você tem medo de abordar certos assuntos para evitar que seu parceiro fique com raiva, se ele te diminui pela sua posição econômica, pelo seu peso ou cabelo. Se você está em um relacionamento onde se sente coagida a transar, onde ouve costumeiramente “se eu não conseguir em casa, eu vou buscar lá fora”, ou “Se você continuar com essa pança, eu te troco por duas de 15”. Se você está em um relacionamento onde ao menos uma dessas situações acontece, sinto muito, você está em um relacionamento abusivo.

A parte mais difícil de um relacionamento abusivo não é conseguir sair dele, e sim, admitir que está e que precisa de ajuda. Uma mulher pode se esquecer totalmente do seu valor e capacidade se todos os dias, vivenciar situações que só a façam se enxergar como alguém que não presta e que deveria estar muito feliz por ter um cara tão legal que a ame mesmo sendo repleta de defeitos. Uma mulher pode esquecer o quanto é incrível se estiver ao lado de um companheiro que a faz sentir-se culpada de tudo, que a faz se achar na necessidade de pedir desculpas mesmo sem estar errada, que a faz repassar mil vezes a mesma situação na mente pra se garantir de que não está ficando louca. É muito fácil reproduzirem o discurso de “você está ficando louca” quando são pegos em alguma situação onde claramente, há uma discordância entre o acordo pré-estabelecido entre o casal. Essa atitude tem nome, Gaslighting e também é abuso.

Quando uma mulher se encontra em qualquer uma das situações acima, provavelmente já deve ter ouvido vários amigos e familiares lhe dizendo para dar fim ao que chama amor e seguir a vida. Se o seu caso é esse e mesmo com tantas incidências, você não consegue tomar uma atitude, procure ajuda profissional. Existem inúmeras ONGs de atendimento para mulheres, como o Cevan, que podem te ajudar a enfrentar a situação de frente e mudar o rumo da sua história.

Foi vítima ou presenciou uma agressão? Não hesite. Denuncie! Dique 180.


Publicidade