Comportamento

O que realmente muda

Nossa viagem é um quebra-cabeças montado lenta, calma e bruscamente a cada minuto onde o controle da história sempre esteve e sempre estará em nossas mãos. Que em 2017, ousemos usá-lo.


mgadmin
Do Mais Goiás | Em: 29/12/2016 às 19:16:12


 

Por ser muito ligada a datas, as datas sempre se ligam em mim e me fazem rebuliço. Desmontam conceitos, revelam verdades e hipocrisias de estimação enrustidas em conceitos próprios repletos de boa vontade. Me afastam de pessoas. Me aproximam de pessoas. Sugam minha energia, me jogam no chão propositalmente para que no chão fiquem todas as expectativas não cumpridas do ano que dá seus últimos suspiros.

Você e eu sabemos que as coisas no ano que está a porta só mudarão se nós mudarmos. E nós sabemos que mudar nem sempre é fácil ou indolor. É só ser um pouco racional para saber que teremos algumas lágrimas, um tanto bom de sorrisos, planos, tentativas, erros, acertos. Assim como foram todos os anos até esses 366 dias que se encerram no próximo 31. Então, não nos iludamos. Recebamos o novo de forma diferente. Se passamos todas as viradas de branco, coloquemos a cor mais improvável. Se fizemos listas enormes de sonhos, façamos uma planilha de projetos executáveis. Se fizemos planos para o amor, deixemos o espaço em branco. Joguemos para o universo, para que ele mesmo, que acolhe as estrelas, alinhe nossas almas e seus encontros.

A vida não segue ciclos marcados em folhinhas. Tem seu próprio tempo e espaço definido por escolhas que nos colocam em caminhos que só farão sentido daqui dez anos.

Então, choremos a estupidez humana vendo os noticiários, cientes que em 2017 tudo será igual se ainda formos iguais. Dancemos na chuva nos últimos minutos na hora do calendário que nos aconchega. Liguemos pra quem a razão diz para não ligar. A vida não foi feita para enterrar vontades. Foi feita para realizá-las.

Digamos os “eu te amo’s”, os “Vá a merda!”, os “Volta pra minha vida!”, “Como eu sou feliz por ter você!”, “Precisamos dar um tempo”, agora. Se não dermos espaço para a coragem na data em que o mundo inteiro para pra recomeçar, quando daremos?

Não adianta tentar entender tudo. Nossa viagem é um quebra-cabeças montado lenta, calma e bruscamente a cada minuto onde o controle da história sempre esteve e sempre estará em nossas mãos. Que em 2017, ousemos usá-lo.


Publicidade