Confusão na maternidade

Bebês são trocados logo após o parto no Hutrin e casal descobre 18 dias depois

Exame de DNA confirmou que os bebês foram trocados. O caso é investigado pela Polícia Civil


Da Redação
Do Mais Goiás | Em: 27/07/2019 às 14:21:23

Crianças foram trocadas dentro da unidade ( Foto: Divulgação)
Crianças foram trocadas dentro da unidade ( Foto: Divulgação)

Dois bebês foram trocados logo após o parto no Hospital de Urgências de Trindade (Hutrin). A confusão foi esclarecida na tarde desta sexta-feira (26), após a realização de um exame de DNA. O hospital também confirmou a troca, que está sendo investigada pela Polícia Civil.

O delegado André Fernandes, responsável pelo caso, afirmou que a troca aconteceu por um erro na hora de colocar a pulseira de identificação nos bebês. Além disso, a mulher passou muito mal durante o parto e mal viu o recém-nascido. Quando as enfermeiras retornaram, a troca já havia sido feita.

O exame de DNA foi realizado na última segunda-feira (22). O casal desconfiou porque a criança não possuía nenhuma semelhança com eles. O marido então questionou a esposa sobre a paternidade da criança e a mulher disse que, se o bebê não era filho dele, também não era dela. Comprovada a troca, o casal procurou a Polícia Civil na manhã deste sábado (27).

Em nota, o Hutrin disse que abriu uma sindicância para esclarecer os fatos e que está realizando um levantamento de todos os nascimentos na data para eliminar qualquer dúvida. O hospital afirmou também que manteve contato com a mãe e com o pai do bebê para “elucidar o fato em todas as suas possibilidades”.

Confira a nota do Hutrin na íntegra:

“O Hospital Estadual de Urgências de Trindade Walda Ferreira dos Santos (Hutrin) esclarece de forma preliminar o seguinte:

  • A direção do hospital tão logo foi notificada da suspeita de troca de bebês instaurou uma comissão sindicante para apurar o caso e afastou as pessoas que estavam de serviço no berçário nos dias dos nascimentos e alta de mães e crianças;
  • Instaurou um processo ético-disciplinar para apurar responsabilidades no ocorrido;
  • Manteve contato com a mãe e com o pai do bebê afim de elucidar o fato em todas as suas possibilidades;
  • Notificou a mãe e o pai sobre a realização de exames de DNA para comprovar a paternidade e maternidade sobre a criança e estabeleceu como parâmetro a realização de outros exames visando contraprova do fato;
  • Está realizando um completo levantamento de todos os nascimentos na data para eliminar todas as dúvidas;
  • Está selecionando todas as imagens de circuito interno de TV para instruir a investigação e documentar as saídas de pais, acompanhantes e crianças nascidas nesse período;
  • O instituto Cem, organização social gestora do Hutrin e a direção do hospital estão acompanhando com integral cuidado e respeito aos princípios éticos e de responsabilidade para com a saúde humanizada e tratamento aos pacientes atendidos na unidade”.

Com informações de G1