Do Mais Goiás

Bebê é deixado pela mãe a traficantes como ‘garantia’ para pagamento de drogas em MT

Criança foi resgatado pelo Conselho Tutelar e Polícia Militar. Mãe é usuária de drogas há 10 anos

Criança foi resgatado pelo Conselho Tutelar e Polícia Militar. Mãe é usuária de drogas há 10 anos
Criança foi resgatado pelo Conselho Tutelar e Polícia Militar. Mãe é usuária de drogas há 10 anos (Foto: divulgação/ PM)

Um bebê, de apenas dois meses, foi resgatado, na última terça-feira (8), após ser deixado pela própria mãe como “garantia” a traficantes para o pagamento de dívida de drogas adquirida pela mulher. A criança estava em uma boca de fumo na cidade de Pontes e Lacerda, a 487 quilômetros de Cuiabá.

A denúncia chegou ao Conselho Tutelar que, com o apoio da Polícia Militar, chegou até o ponto de venda de drogas. A mãe da criança havia sido localizada até a última quarta-feira (9).

Segundo a PM, a criança estava com duas mulheres, mas elas não assumiram que pegaram o recém-nascido como forma de pagamento. De acordo com elas, a mãe da criança pediu para que elas cuidassem o bebê. A dupla e a mãe têm passagens policiais por tráfico de drogas no estado.

A criança foi resgatada e levada ao Lar de Apoio à Criança (LAC) de Pontes e Lacerda.

Investigação

A delegada Bruna Carolina Laet disse que um inquérito foi aberto para apurar o crime previsto no artigo 238, do Estatuto da Criança e Adolescente: prometer ou efetivar a entrega de filho ou pupilo a terceiro, mediante pagamento ou recompensa.  

“Nessa situação repugnante, a mãe de um bebê o entregou em uma boca de fumo como garantia que retornaria para pagar. A criança foi, de certa forma, um pagamento pela droga adquirida. Nas investigações vamos apurar a conduta da mãe e das pessoas que receberam o bebê como pagamento”, disse a delegada.A mãe da criança teria perdido a guarda da criança de maneira temporária na última segunda-feira (7). A decisão foi concedida pelo juiz Cláudio Deodato Rodrigues Pereira, da 2ª Vara de Pontes e Lacerda.

A sentença vem em atendimento de um pedido já formulado pelo Ministério Público de Mato Grosso, que já tinha conhecimento das atitudes negligenciais da mãe referente ao menor.

Ainda de acordo com a PM, a mulher é usuária de drogas há 10 anos e tem cinco filhos. O primeiro morreu aos dois anos, o segundo e terceiro estão com pessoas que não são da família. Uma quarta criança está em um abrigo.

A Justiça informou que a criança estava sob cuidados da avó, mas a mesma não tem condições de cuidar da criança pois sofre de problemas cardíacos.

*Com informações do G1