Do Mais Goiás

Bêbado que provocou acidente fatal, arrastou motocicleta por quase 50 metros em Anápolis, diz delegado 

Perícia constatou a distância que a moto foi arrastada. Exame clínico do IML comprovou que o autor estava embriagado.

Caminhonete invadiu a pista contrária e atingiu o motociclista que foi ejetado e caiu em via pública. (Foto: Reprodução)

A Polícia Civil com resultado da perícia confirmou que a motocicleta Honda CG que Bruno Bezerra pilotava, foi arrastada por quase 50 metros. O homem de 36 anos, morreu ao ser atingido por um motorista bêbado no último domingo (13), em Anápolis.

O crime ocorreu na Avenida Nair Xavier Correia, no setor Jardim Alexandrina. Humberto Pires Gonçalves, 48, motorista da caminhonete Nissan Frontier e acusado de provocar o acidente está detido.

“Desde o primeiro ponto da colisão até o local de parada, a motocicleta foi arrastada por 48 metros”, afirma o Delegado Cleiton Lobo de Araújo, em entrevista à Rádio São Francisco FM.

Socorro médico

O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) encaminhou a vítima em estado grave ao Hospital Estadual de Urgências de Anápolis – Dr. Henrique Santillo (HEANA), mas ele não resistiu aos ferimentos.

Bruno estava indo almoçar com a família quando ocorreu o acidente, ele deixa esposa e uma filha de 10 anos.

Colisão frontal

Conforme apurado, os veículos seguiam em sentidos opostos e o condutor da caminhonete invadiu a pista contrária e atingiu o motociclista.

“Não existe dúvida da imprudência desse motorista ao invadir a pista contrária. Provavelmente isso aconteceu por ele dirigir embriagado, o que diminui a percepção do trânsito”, explica o delegado.

Prisão em flagrante

De acordo com testemunhas, o suspeito evadiu do local com o auxílio do irmão, de 49 anos. Nesse sentido, o autor alega que seria agredido por populares no local do acidente, por isso pediu ajuda ao irmão.

Horas após, a Polícia Militar apresentou o motorista na Central de Flagrantes da Polícia Civil.

Como resultado, Humberto que trabalha como borracheiro, responderá pelos crimes de embriaguez ao volante e homicídio culposo. “A pena prevista é de 5 anos, sem a possibilidade de fiança”, concluiu o delegado.