Crime

Bandidos invadem casa de gerente dos Correios e fazem família refém, em Nova Veneza

Os dois criminosos escaparam com R$ 12 mil após obrigarem a vítima a entregar dinheiro da agência




A Polícia Civil procura dois homens que fizeram a gerente de um banco de Nova Veneza de refém na manhã desta segunda-feira (26). A vítima foi abordada dentro de casa e forçada a ir até a agência em que trabalhar com os criminosos.

A ação dos bandidos começou por volta das 6h15, quando renderam a gerente da agência dos Correios do município, Hérica Rodrigues Ribeiro, e outras três pessoas que estavam no local. A identidade e a relação dos outros reféns com Hérica não foram reveladas.

Enquanto um dos criminosos permaneceu com a maior parte das vítimas dentro da casa, o outro levou Hérica até a agência, onde se depararam com o vigia que trabalha no local, que também foi rendido. O bandido fez com que a gerente pegasse R$ 12 mil dos cofres da agência e entregasse a ele. Em seguida, pegou o computador que continha os registros das câmeras de segurança do estabelecimento.

Durante o tempo na agência, outra pessoa, ainda não identificada, também foi feita refém. O carro dela foi utilizado como veículo de fuga pelo bandido, que libertou os três logo em seguida e voltou para a residência de Hérica. Chegando lá, os dois homens colocaram as três pessoas que estavam sendo mantidas no local e partiram em direção a Nerópolis.

Aos poucos, os suspeitos foram liberando um a um. O último dos reféns foi levado no porta-malas em direção a Anápolis, sendo liberado na GO-222.

No momento, a polícia continua em busca dos suspeitos, mas ainda não há pista sobre a identidade ou o paradeiro deles.

Por meio de nota, os Correios informaram que “uma equipe da Gerência de Recursos Humanos seguiu para a cidade para prestar toda a assistência necessária à gerente da unidade e seus familiares”.

Ainda de acordo com a nota, “responsáveis pelos setores de Segurança e Administração dos Correios estão fornecendo às autoridades policiais todas as informações e apoio necessários à investigação do crime”. 

O órgão informou ainda que não houve danos à unidade, mas o local está fechado para realização de perícia.