Brasil

Autores de massacre em Suzano compraram arco e flecha pela internet

Polícia apreendeu quatro comprovantes de pagamento do site 'Mercado Livre' em endereços ligados aos alunos responsáveis pelas mortes


Fabricio Moretti

Do Mais Goiás | Em: 14/03/2019 às 16:52:43


Fotos de projétil calibre 38 e de arco e flecha que atiradores utilizaram em escola em Suzano (SP) (Foto: Reprodução)
Fotos de projétil calibre 38 e de arco e flecha que atiradores utilizaram em escola em Suzano (SP) (Foto: Reprodução)

Entre os objetos apreendidos pela polícia em endereços ligados a Guilherme Taucci Monteiro, de 17 anos, e Luiz Henrique de Castro, de 25, responsáveis pelo massacre de Suzano, constam ao menos quatro comprovantes de pagamento do site “Mercado Livre”.

Uma das notas fiscais recolhida pela polícia é de um arco e flecha comprado pelo site e que foi levado ao ataque na escola Raul Brasil pelos dois jovens. A polícia não informou se outras armas brancas, como a balestra, também foram compradas pela internet. Chama atenção, ainda, a apreensão de 11 celulares relacionados a Guilherme, e um deles com vestígios de sangue.

Entre as armas apreendidas com o atirador de Suzano, estava arco e flecha comprado pela internet (Foto: Rafael Ciscati / Agência O Globo)

Entre as armas apreendidas com o atirador de Suzano, estava arco e flecha comprado pela internet (Foto: Rafael Ciscati / Agência O Globo)

As provas foram levadas à Delegacia de Suzano, na Grande São Paulo, e ainda estão em análise pela perícia. Além de documentos e carteira, há comprovantes de pagamento de coturnos militares, luvas e de uma máscara de caveira. Foi apreendida ainda uma roupa de um personagem do desenho japonês “Death Note”, em que um jovem encontra um livro onde escreve os nomes das pessoas que quer que morra, e seis coquetéis molotov artesanais, além de granadas de fumaça.

Os policiais também apreenderam duas armas de arco e flecha, dardos, um machado, um tablet e uma CPU de computador, além de adaptadores USB, pendrive e cartuchos de videogame.

Também foram recolhidos pelos investigadores munições, recarregadores do tipo “Jet Loader” e alvos para treino de tiro. A arma usada no ataque e atribuída a Guilherme é um revólver Taurus calibre 38, oxidado, e com número parcialmente suprimido, segundo informações da polícia. Cinco cartuchos foram deflagrados, de acordo com a polícia.