Itumbiara

Autor de atentado tinha mais um pente de balas, diz Secretário de Segurança Pública em exercício

Coronel Edson Costa disse que tragédia em Itumbiara poderia ter sido maior




O funcionário da prefeitura de Itumbiara Gilberto Ferreira do Amaral, de 53 anos, tinha mais um pente de munição para usar durante o atentado na cidade do sul goiano ocorrido na tarde de quarta-feira (28). De acordo com o secretário de Segurança Pública em exercício, coronel Edson Costa, a tragédia só não foi maior porque a Polícia Militar agiu rápido. “Foram necessários 11 segundos entre os tiros e a contenção do criminoso. Essa rapida reação foi fundamental para preservação de vidas”, disse.

O secretário em exercício salientou, em entrevista coletiva no inicio da tarde desta quinta-feira (29) que o atentado que feriu o vice-governador José Eliton e matou o candidato à Prefeitura de Itumbiara José Gomes da Rocha (PTB), de 58 anos, e o cabo da PM Vanilson João Pereira, se trata de um “atentado político, um ato contra a soberania e o Estado de Direito”.

O coronel afirmou que a polícia ainda investiga as reais motivações do crime. “A balística ainda vai determinar a quantidade de tiros que ele deu”, disse. Ele informou que há uma força tarefa com 13 delegados da Polícia Civil e dois da Polícia Federal investigando o ocorrido. “Enviamos reforço policial para as cidades do interior, com o foco em Itumbiara, para que o clima das eleições permaneça tranquilo”, reforçou.

 Além disso, a região de Itumbiara e divisa com Minas Gerais foi toda vasculhada. Uma grande quantidade de drogas foi encontrada na casa de um dos filhos do atirador.