Francisco Costa
Do Mais Goiás

Áudios atribuídos a candidatos derrotados mostram indignação; ouça

Tem gravação de gente falando em demissão e até pedido de punição divina

Áudios atribuídos a candidatos derrotados mostram indignação; ouça
Áudios atribuídos a candidatos derrotados mostram indignação; ouça

“Só os caras que vêm pegar jabuticaba aqui em casa são mais que 33”, diz um áudio atribuído ao candidato a vereador Maurição Celulares, de Sabará (MG). Ainda na gravação, o comerciante de loja de celulares diz que, no “churrasquinho” em que ele estava, comeram 200 “espetinhos”.

“Só não vou mudar e Sabará… Eu nem sei porque. Povo ingrato… Até gasolina eu dei para os outros esse dia.”

Em outro áudio, ele disse, ainda, que estava com medo de andar na rua “e tomar facada igual Bolsonaro” de tão popular que estava. “Todo mundo me cumprimentando. (…) Pensando, eu sou um forte concorrente, o cara do partido disse: ‘Você tá forte’. Imagina se eu tivesse fraco”, disse com a voz embargada.

“Só na pelada tem quantos? Só no meu caderninho tem 60 pessoas me devendo. Nem que está me devendo votou em mim. Não mexo mais com celular, não. Bando de [email protected]$%[email protected]

Outros candidatos

Outro que também teria ficado indignado com o resultado nas urnas foi o vendedor Raimundo Mascatinho (PP), que teve dois votos na disputa de Ribas do Rio Pardo (MS). “Pode repostar esses áudios… É grupo da família, de trabalho, da cerveja, do bar… Quero que esses grupos vão todos a [email protected]$%@”, desabafou em gravação atribuída a ele.

E continua: “Eu tive dois votos. Dois votos. Um eu sei que era eu. Na minha casa mora eu, minha mãe, meu pai… Meu outro irmão. Não sei nem quem é o outro votou em mim. Cambada de vagabundo. Lá em casa deu até briga. Todo mundo fala que votou.”

Segundo ele, gastou R$ 3 mil na campanha. “Juntei toda a minha economia, quebrei até meu porquinho. Conversei com mais de 500 pessoas. Não sei nem em quem eu posso confiar. Vou pedir conta até do meu emprego. Disse que ia votar em mim. Patrão [email protected]$¨#.”

Já a candidata à vereadora de Porto Nacional (TO), Professora Evanice (Solidariedade) agradeceu aos 31 votos, mas pediu a condenação divina daqueles que não votaram. “A arapuca cai em cima de quem está devendo. Vocês que não votaram em mim, peço que não dirijam mais a palavra em mim.”

O Mais Goiás não conseguiu o contato dos candidatos a quem os áudios foram atribuídos. Contudo, caso algum deles queira se manifestar, o espaço segue aberto.