Cidades

Audiência pública sobre assédio nas escolas será realizada na próxima quarta-feira na Câmara de Goiânia

Reunião é resultado de manifestações feitas por estudantes de colégios da capital que denunciaram casos de assédio por parte de docentes


Larissa Lopes

Do Mais Goiás | Em: 23/04/2019 às 18:47:15


Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Na próxima quarta-feira (24), acontece uma audiência pública com o tema “Assédio Na Escola- Você Já Viu Ou Viveu?”. O intuito é conscientizar sobre o assédio nas escolas, especificamente em Goiânia. A audiência será às 14 horas no auditório da Câmara Municipal de Goiânia.

A reunião é resultado das manifestações realizadas na capital por alunas de colégios privados, após denúncias na página do Colégio WR. O assunto tomou proporção na imprensa local e foi debatido por diversos grupos feministas.

Dentre eles está o clube Girl Up, que integra uma organização global e foi fundado pela Organização das Nações Unidas (ONU). A audiência pública na Câmara é uma proposta da vereadora Dra. Cristina (PSDB) e resultado da busca das integrantes de propor um debate de conscientização sobre o assédio no ambiente escolar.

“A gente vê a solução no debate. Pois a partir daí podemos interferir para surgir Projetos de Lei (PL), por exemplo”, afirma a líder do Girl UP em Goiânia, Bruna Guedes, de 18 anos. “Não queremos amedrontar professores, mas sim conscientizar”, reitera.

A audiência será mediada pela vereadora. A mesa de discussão será integrada pelos seguintes nomes:

– Gabriela Hamdan: Coordenadora do Núcleo Especializado de Defesa e Promoção dos Direitos da Mulher (NUDEM).

–  Aava Santiago: criadora do movimento “Você não está sozinha” e pesquisadora das temáticas igualdade de gênero e juventude.

–  Anna Luiza Vila Verde: organizadora de manifestações contra assédio nas escolas.

– Jorge Medeiros: procurador da república e escritor do texto 2° lugar no Prêmio República sobre combate ao assédio.

Segundo a tucana, foram convidados a participar, também, representantes de escolas privadas e municipais, comissões de direitos humanos e da Mulher da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), membros do Centro de Apoio Operacional (CAO) da Infância e Juventude do Ministério Público do Estado de Goiás (MP-GO). E será aberta à população.

Será discutida a hierarquia entre professor e aluno; a adoção de depoimento especial, escuta especializada e livre narrativa; e uma forma de resolver esses casos de assédio. Além da conscientização nas escolas, as políticas públicas e o apoio às vítimas.

Caso da Defensoria Pública Estadual

Apesar dos protestos de denúncias informais, até o momento a Defensoria Pública do Estado de Goiás (DPE) não formalizou representação cível e criminal. Isso porque, conforme já noticiado pelo Mais Goiás, as vítimas não informaram nomes dos colégios e de possíveis envolvidos.

*Larissa Lopes é integrante do programa de estágio do convênio entre Ciee e Mais Goiás, sob orientação de Thaís Lobo