FolhaPress

Atriz com distrofia celebra sexo em ‘Generation Q’: ‘Jamais tinha visto’

Versão repaginada da série 'The L Word' traz mais diversidade à tela

Versão repaginada da série 'The L Word' traz mais diversidade à tela. Atriz com distrofia celebra sexo em 'Generation Q': 'Não tinha visto'
(Foto: Barbara Anastácio)

Em seus cinco anos de duração, “The L World” levou drama, romances lésbicos, e muitas, muitas, cenas de sexo às telas de televisão —um total de 111, para ser exato, mas quem está contando? No entanto, Jillian Mercado, 34, a atriz e modelo que interpreta Maribel em “Generation Q”, versão repaginada da série original, jamais imaginou que participaria de uma dessas cenas de sexo. Ela tem distrofia muscular desde a infância, e era raro ver na TV qualquer ator com deficiências físicas.

Natural da região nova-iorquina do Bronx e descendente de dominicanos, Mercado estudou no Fashion Institute of Technology de Nova York e começou a ganhar fama como modelo em 2014, quando foi contratada para sua primeira campanha para a grife Diesel.

Depois disso, ela assinou com a agência de talentos Creative Artists Agency; criou a iniciativa Black Disabled Creatives, que beneficia criadores negros portadores de deficiências físicas; e entrou para o elenco de “Generation Q”, fazendo seu primeiro papel como atriz.

Embora a versão original de “L Word” não tivesse grandes personagens que não fossem lésbicas cisgênero (ou na verdade qualquer pessoa que escapasse aos estreitos padrões de beleza branca e heterossexual), a nova versão, que estreou no final de 2019, acolheu Mercado com um elenco muito mais diverso.

E nesta temporada, que ainda não chegou ao Brasil —a primeira pode ser vista no Amazon Prime—, com o surgimento de um romance entre Maribel e Micah (Leo Sheng), Mercado conseguiu se tornar o tipo de personagem que desejava ver na televisão quando era mais jovem.

“A intimidade e o sexo da comunidade dos deficientes nunca tinham sido coisas que eu tivesse visto literalmente na TV, até agora”, escreveu Mercado, que é cadeirante, em um post no Instagram, depois que sua primeira cena de sexo foi ao ar, no episódio cinco de “Generation Q”.

“Meu coração está repleto de gratidão por eu poder afirmar que sou uma das primeiras pessoas a lhes mostrar como isso funciona em rede nacional de TV, para que milhões de pessoas vejam”.

Na série, Mercado interpreta uma advogada de humor ácido que muitas vezes serve como a voz da razão, dando conselhos à sua irmã mais nova, Sophie, e às amigas das duas. Mas um lado mais vulnerável de sua personagem é revelado quando a amizade entre Maribel e Micah, um homem transgênero, se torna algo mais complicado.

Maribel e Micah terminam por dormir juntos e depois se apaixonam, o que oferece aos telespectadores uma oportunidade de celebrar a alegria dos dois personagens, em lugar de tratar como mais importantes os traumas que sofreram no passado. “Honestamente, a coisa que mais queremos é que as pessoas compreendam que somos humanos”, disse Mercado.

Em uma entrevista em vídeo, de Los Angeles, onde “Generation Q” está sendo gravada, Mercado discutiu encontros “queer” e a importância de contar histórias alegres sobre pessoas deficientes. Abaixo, trechos editados de nossa conversa.

LEIA TAMBÉM:

• Daniel Craig revela que prefere frequentar bares gays: saiba motivo

• Simone rebate fã que sonha em fazer sexo a três com ela e o marido: LEIA