Do Mais Goiás

Atlético Goianiense é o primeiro time brasileiro de futebol vacinado contra Covid-19

A Conmebol recebeu 50 mil doses do laboratório Sinovac e elas serão distribuídas entre os países membros da entidade

Foto: Reprodução/ACG

O Atlético Goianiense foi o primeiro time brasileiro de futebol a ser vacinado contra a Covid-19. A delegação recebeu a primeira doses da Coronavac após a vitória sobre o Libertad, nesta quinta-feira (6), na sede da Conmebol em Assunção, no Paraguai. O clube usou as redes sociais para informar que 44 pessoas foram imunizadas.

O presidente do clube, Adson Batista, que foi um dos contemplados, agradeceu a Conmebol. “[Foram] 44 doses da vacina Coronavac, aplicadas em todos os membros da delegação do Atlético Goianiense. Agradeço imensamente à Conmebol por terem dado todo apoio ao clube para vacinação de todos. Seremos eternamente gratos!”, finalizou o dirigente.

Vale lembrar que no final de abril, a organização recebeu uma doação de 50 mil doses do laboratório Sinovac, que estão sendo repassadas para os países integrantes da entidade. A doação faz parte de uma exposição da marca do laboratório, que será parceiro oficial na Copa América, que será realizada em Junho. Além de times que disputam a Libertadores e Sul-Americana, equipes das primeiras divisões também irão receber o imunizante.

No Brasil, para ser usado em pessoas fora do grupo prioritário, que segue o plano nacional de vacinação, a Confederação Brasileira de Futebol precisa pedir a permissão da Anvisa.

Fluminense: “seria antipático”

Apesar do Atlético ter aceito tomar as doses no Paraguai, outras equipes recusaram, como foi o caso do Fluminense, que também teve compromisso no país, pela Libertadores. O presidente do clube, Mário Bittencourt comentou sobre o caso.

“A maioria dos que trabalham aqui são jovens atletas, que não sofrem muito com os sintomas da doença e mesmo que sofressem, seria antipático do mesmo jeito nos privilegiarmos de uma situação privada e buscar vacinação em outro país enquanto o Brasil está sofrendo com mais de 400 mil mortes”, disse o presidente do tricolor em entrevista ao Sport TV. Além do Fluminense, os argentinos River Plate e Lanús também rejeitaram a vacinação.