Agência O Globo

Astronautas americanos voltam à Terra após dois meses no espaço

Aterrissagem está marcada para 15h41 apesar de más condições meteorológicas; essa foi a primeira missão tripulada da NASA em nove anos

Crew Dragon, da SpaceX (Foto: Divulgação)
Crew Dragon, da SpaceX (Foto: Divulgação)

Dois astronautas da NASA que viajaram para a Estação Espacial Internacional a bordo do novo Crew Dragon da SpaceX estão voltando para casa e devem mergulhar neste domingo no Golfo do México, encerrando uma viagem de dois meses no espaço que marcou a primeira missão tripulada da NASA em nove anos.

Os astronautas Robert Behnken e Douglas Hurley viajaram para a estação espacial em maio a bordo de uma cápsula do Crew Dragon construída e dirigida pela SpaceX, a empresa de foguetes privada iniciada por Elon Musk.

“E finalmente partiram”, tuitou a NASA ao anunciar que Behnken e Hurley haviam deixado a estação após divulgar imagens da capsula se desprendendo sem problemas do aparato no espaço na noite deste sábado. Quando a cápsula se afastou da estação, Hurley agradeceu à equipe local e às equipes em terra ajudaram a gerenciar sua missão.

— Estamos ansiosos para mergulhar amanhã — disse ele.

Horas antes, ambos se despediram de três colegas que permanecem na estaçao apesar de certa incerteza em razão das condições meteorológicas na Flórida.

A aterrissagem está prevista para 15h41 no Golfo de México. Foi mantida para o oeste da Flórida, mesmo com a tempestade tropical Isaías podendo se converter em um furacão, ameaçando a península. Um espaço perto da cidade de Pensacola (norte de Flórida) foi escolhido como prioritário, com uma alternativa perto da Cidade do Panamá, também no Golfo do México, caso o mar esteja muito agitado sov os ventos fortes.

Mais viagens

Um retorno seguro deve dar início a mais viagens de e para a órbita para futuras tripulações de astronautas e, possivelmente, turistas espaciais, a bordo da espaçonave.

Behnken e Hurley se tornaram os primeiros astronautas a serem levados para a ISS, localizada a 400 km da Terra, por uma empresa privada contratada pela NASA. A missão foi a primeira de uma nave tripulada lançada de solo americano. A última havia sido em 2011, quando o programa de ônibus espaciais terminou.

Nos últimos nove anos, os astronautas americanos viajaram exclusivamente com foguetes russos da Soyuz, ao preço de cerca de US $ 80 milhões por assento. Se a missão atual for certificada como segura, os Estados Unidos não dependerão mais da Rússia para acessar o espaço.

Por US $ 3 bilhões, acordados desde 2011 sob um contrato de preço fixo, a SpaceX prometeu à NASA seis viagens de ida e volta à ISS com quatro astronautas a bordo. O astronauta francês Thomas Pesquet anunciou esta semana que viajará a bordo do Crew Dragon da SpaceX em sua segunda missão à ISS na primavera de 2021.