Aparecida de Goiânia

Assassinato de mulher em distribuidora não tem elo com série de mortes, diz polícia

Mulher foi baleada na porta do estabelecimento, em Aparecida de Goiânia.

Cidades



O Grupo de Investigações de Homicídios (GIH) de Aparecida de Goiânia, na Região Metropolitana da capital, investiga o assassinato de uma jovem na porta de uma distribuidora de bebidas na cidade, ocorrido na noite de domingo (17/08).

Segundo o delegado Rogério Bicalho, responsável pelo caso, já é possível afirmar que não existe qualquer ligação do crime com a série de assassinatos contra mulheres em Goiânia.

“Ela tinha envolvimento com um detento do Complexo Prisional de Aparecida de Goiânia e, além disso, constantemente brigava com clientes lá na distribuidora e estava sendo ameaçada. “Então, nós vamos apurar para ver se o crime teve relação com essas duas linhas de investigações. Mas até agora não temos nenhum indício de que o crime tenha ligação com os outros crimes ocorridos em Goiânia”, disse ele ao G1.

Segundo relatos de testemunhas à Polícia Militar, os suspeitos chegaram em um Honda Civic e já dispararam antes mesmo de conversar com a vítima. Rosivânia Alves Soares, de 26 anos, foi atingida por pelo menos quatro tiros e não resistiu aos ferimentos.

A polícia ainda não tem pista dos autores do crime.