Do Mais Goiás

Assaltos simultâneos terminam com explosões, tiroteio e reféns em Campo Alegre de Goiás

Ação durou 45 minutos e afetou duas agências bancárias. Funcionários de hospital foram levados para servir de escudo humano, segundo secretária de Saúde, mas foram liberados sem ferimento

Duas agências bancárias foram alvo de explosões simultâneas na madrugada desta sexta-feira (6) em Campo Alegre de Goiás, a 267 quilômetros da Capital. Unidade de Banco do Brasil e do Sicredi foram afetadas. Três pessoas foram pegas como reféns. Informações preliminares da Polícia Civil apontam que ninguém ficou ferido, embora tenham sido ouvidos diversos disparos de arma de fogo e explosões. Valores roubados ainda não foram divulgados.

Além da destruição das agências, a polícia encontrou capsulas de fuzil calibre 5.56. nos locais. De acordo com a secretária municipal de Saúde Meire Pereira, após os roubos duas técnicas de enfermagem e um dentista do Hospital Municipal situado nas imediações do banco público foram levados como reféns para, eventualmente, serem usados como escudos humanos.

Munição de fuzil foi encontrada nos locais (Foto: reprodução)

“As mulheres estavam de serviço. O dentista, que também é funcionário, apenas passava pelo local, quando foi abordado e levado no carro com eles”, afirma. Tanto a secretária como a polícia civil confirmam que os reféns foram liberados sem ferimentos.

De acordo com Meire, as explosões e disparos se iniciaram por volta das 2h10 e duraram cerca de 45 minutos. “Demoraram muito a sair. Uma funcionaria do Sicredi disse que o sistema de segurança deles acabou deixando os bandidos presos. Comparsas tiveram que explodir o muro pelo lado de fora para que eles saíssem. Antes, ficaram atirando tentando escapar”.

Agências ficaram destruídas (Foto: reprodução)

O delegado Diogo Andrade Ferreira, de Ipameri, está conduzindo as investigações, mas prefere se inteirar dos fatos antes de tecer qualquer comentário à imprensa.

O portal tentou contato com o prefeito da cidade, José Antônio, morador das imediações e com uma das vítimas feitas como refém, mas os contatos também não foram concretizados.

Imagem mostra por onde bandidos entraram no Sicredi (Foto: reprodução)

Nota

Em nota, a assessoria de imprensa do Sicredi afirma que o caso está sendo investigado pela polícia, com apoio da instituição financeira. A agencia está fechada ao público, sem previsão de reabertura. Confira a nota na íntegra:

“Em relação a explosão da Agência Campo Alegre de Goiás (GO), ocorrido na madrugada desta sexta-feira (06/04), o Sicredi informa que o caso está sendo investigado pela polícia, com o apoio da instituição financeira cooperativa.

Por conta do ocorrido, a agência estará fechada ao público. Neste momento, não há previsão de reabertura. O Sicredi orienta aos associados a utilizarem os canais de atendimento digitais (site e aplicativo) ou se dirigirem à Agência de Catalão GO, que fica a cerca de 80 km de Campo Alegre de Goiás.

A instituição financeira cooperativa reforça que investe continuamente em segurança com o objetivo de proteger as pessoas, o patrimônio e para atender as necessidades dos seus associados e da comunidade onde atua”.

O Mais Goiás também aguarda pronunciamento do Banco do Brasil sobre o ocorrido.