Televisão

As melhores séries de 2016

Selecionados quais programas de TV mais nos agradaram neste ano que passou




Podemos concordar que 2016 foi um ano cheio na televisão, com dezenas de estreias de grande impacto além de novas temporadas de séries consagradas.

Foi tanta coisa que mais difícil do que assistir a tudo foi selecionar quais se destacaram mais. Vale ressaltar que esta lista foi montada de maneira subjetiva e baseada na opinião do autor e que você pode muito bem não concordar com ela e ter os seus favoritos completamente diferentes.

Neste caso, leve na esportiva e considere a nossa seleção como sugestões de séries que você deve dar uma conferida mais cedo ou mais tarde, de preferência antes que o ano acabe.

10. The Flash

Embora as séries da Marvel na Netflix sejam excelentes, as aventuras de Barry Allen continuam sendo as mais divertidas da TV. Sim, o roteiro é raso e esburacado, mas a série consegue manter um nível de envolvimento e diversão com os quais Demolidor e Luke Cage teriam dificuldade em argumentar. Além disso, graças ao seu sucesso, a série continua expandindo o Universo DC na televisão a um ritmo alarmante, com linhas do tempo paralelas, monstros e crossovers com as também divertidas Arrow e Supergirl.

 

795b7314f71110e99726780d1370f4b0.jpg

9. Orphan Black

Depois de uma terceira temporada arrastada e complicada, o seriado canadense limpou a casa com uma ótima e ágil quarta temporada que não apenas azeitou a máquina da melhor série de ficção-científica dos últimos anos como também preparou o terreno para a sua quinta e última temporada. Se você ainda não deu uma chance para Sarah Manning e suas “sestras”, não perca mais tempo e confira: todas as temporadas já estão disponíveis na Netflix.

 

a2325f6c4e620ced025da8a5444a7cfe.jpg

8. Better Call Saul

Falando em Netflix, agora é o estirão do canal nesta lista. O serviço de streaming realmente mandou bem este ano, seja com séries novas, seja com novidades. Better Call Saul retornou para uma segunda temporada que conseguiu ser maior e melhor do que a anterior que já era muito boa. Além disso, Vince Gilligan deixou muito claro que está indo em uma direção diferente de Breaking Bad, dando vida própria a algo que poderia ser um repeteco sem propósito. O excelente roteiro e elenco não machucam também.

 

84c9e6b2c095e8d133318d4a463736e4.jpg

 

7. Narcos

Enquanto a primeira temporada foi muito boa, mas meio paradona, travada, a segunda compensa incluindo muito conteúdo ficcional que deu mais sabor e consistência para a saga de Pablo Escobar, o maior traficante da História. Wagner Moura continua impecável no papel e os toques de humanidade e realismo fantástico deram mais vida ao seriado que anteriormente parecia quase um filme documental de tão pé no chão.

 

fac1df6391163f460c11db6b40181095.jpg

 

6. Stranger Things

Uma das maiores surpresas do ano, a série de aventura da Netflix baseada em nostalgia e cultura pop foi, com folga, uma das melhores do ano. Sem se levar muito a sério, os oito primeiros episódios destes quatro amigos e uma menina muito especial podem ser assistidos de uma sentada. A série acerta em tom e pegada e ficou tão popular que teve até gente reclamando no Facebook. Ao invés de reclamar, deviam assistir para ver o quanto é legal.

 

433e01932e49f06a52dcbded9832a27b.jpg

 

5. Black Mirror

Uma das melhores coisas que a Netflix fez este ano foi ressuscitar uma das melhores séries da TV britânica. Centrada em terror tecnológico, a série traz episódios que se tornaram clássicos instantâneos como ‘Queda-Livre’ e ‘San Junipero’ além de ter tido um alcance de público muito maior dessa vez. De modo geral, as histórias continuam muito boas e vão tirar o sono de muita gente por um bom tempo.

 

c4ee6add2ac0b44c5de3ea8b87be1562.jpg

 

4. Preacher

Se tinha uma série que tinha tudo para dar errado, era essa. O projeto saiu do papel após anos de embrólio e sem muito entusiasmo por parte da AMC nem do criador da HQ original, Garth Ennis. Porém, os produtores Eva Goldberg e Seth Rogen conseguiram criar algo muito próprio e que se tornou, fácil fácil, uma das melhores do ano. Preacher é ácida, brutal e tem um humor negro único que está em falta. Basicamente, é a adaptação que Constantine devia ter sido.

 

9e8051206f79454b0ec307d37d94afc3.jpg

 

3. The People vs. OJ Simpson – American Crime Story

A minissérie que fez um limpa no Emmy e provavelmente vai fazer um limpa no Globo de Ouro. O programa é uma aula de roteiro, elenco e especialmente de direção. Rica em detalhes e com uma produção impecável, a temporada é viciante e dá todos os ângulos do caso OJ Simpson com maestria, especialmente para quem não acompanhou o julgamento na época. O sucesso foi tanto que a segunda e terceira temporada serão gravadas ao mesmo tempo.

 

918bb36293ce2a1286f67c5c7fea45ba.jpg

2. Westworld

A HBO apostou alto em Westworld em todos os níveis: qualidade de produção, elenco, roteiristas. E não era pra menos: com apenas mais duas temporadas de Game of Thrones, o canal precisava desesperadamente de uma nova galinha dos ovos de ouro. E encontrou. A primeira temporada foi espetacular, irrecotável e ainda deixou as pontas para um segunda temporada que promete. A saga sobre robôs inteligentes e o existencialismo pode não ser pra todo mundo, mas com certeza é fora da caixa.

 

6f8233b5d57f624516aa8c32671ef572.jpg

 

1. Game of Thrones

Depois de uma quinta temporada problemática, a sexta temporada de Game of Thrones estreou como a primeira 100% nas mãos dos produtores já que a série ultrapassou os livros de George R. R. Martin. O que parecia ser a receita para o desastre se provou, na verdade, libertador: sem as amarras dos livros, a série chegou a níveis de qualidade inéditos e finalmente se encaminhou para o final. Fãs dos livros e da série não sabem o que vai acontecer nos próximos dois anos, mas estão todos excitadíssimos.

 

 57d28512d48d635a7dc129140acb8db1.jpg