Opinião

Artigo: O Dom de Ser farmacêutico

Para ter êxito nessa profissão são fundamentais dedicação, aperfeiçoamento, qualificação e amor pelo que faz




Ao homenagear os farmacêuticos nessa importante data, não é demais relembrar que este profissional figura na ponta da rede de saúde como um dos mais acessíveis e solicitados, não só no Brasil como em todo o mundo. O foco do trabalho farmacêutico é a prevenção, o tratamento e a cura de doenças e, no Brasil, as farmácias representam o principal campo de atuação profissional.

Milhões de pessoas vão às farmácias todos os dias em busca de soluções para seus problemas de saúde, em busca do medicamento e procuram pelo farmacêutico. Mas outras pessoas não possuem este mesmo discernimento. Segundo a IMSHEALTH, empresa que audita o mercado farmacêutico mundial, somos o 6° país, no ranking de automedicação. Isso nos leva a afirmar que além de imprescindível ao cuidado, é apresença do farmacêutico que faz da farmácia um estabelecimento de saúde. Mas não basta estar presente.

O farmacêutico precisa se apresentar como profissional de saúde e exercer a autoridade que seus conhecimentos e habilitação lhe conferem. No Brasil, existe uma expansão no mercado de medicamentos, com isso, surge um amplo leque de oportunidades para quem deseja trabalhar na área. Mas para ter êxito nessa profissão são fundamentais dedicação, aperfeiçoamento, qualificação e amor pelo que faz, ser farmacêutico é um dom.

Lidamos todos os dias com pessoas que precisam da nossa atenção, da nossa ajuda e, principalmente, da nossa orientação. Somos responsáveis por cuidar de cada ser humano que nos procura, ouvindo seus problemas, tratando das suas angústias e curandoas suas dores. Se ja na farmácia, na indústria, nos hospitais, nos laboratórios ou como professores universitários, esse profissional merece respeito e valorização por sua profissão. Infelizmente, o reconhecimento que merecemos ainda está distante de ser alcançado. Enfrentamos, diariamente, desafios que, muitas vezes, nos fazem desanimar.

No entanto, são estes desafios que nos colocam numa situação de luta e enfrentamento dos problemas. Cada passo que damos e cada conquista que alcançamos devem ser celebrados. O que não podemos fazer é baixar a cabeça e deixar as dificuldades nos consumirem. Entendo que para que haja o reconhecimento e a valorização do nosso trabalho, o farmacêutico precisa conhecer seus direitos, engajar-se e participar das lutas. Precisa mobilizar-se individual e coletivamente, sendo pró-ativo na defesa da dignidade profissional.

Hoje, dia do farmacêutico, me sinto ainda mais honrada por ser uma profissional dessa área, tenho orgulho do nosso trabalho e o alcance que ele atinge. Que cada vez mais tenhamos progresso em nosso modo de agir e trabalhar e, ainda, que nossas ações sejam valorizadas e reconhecidas em todos os âmbitos da sociedade. Parabéns a cada um de nós que fazemos parte desta grande família que orienta e dá auxílio para o bem-estar e saúde de toda a população.

Lorena Baía é graduada em Farmácia e Bioquímica pela Faculdade Objetivo (1997), especialista em “Saúde da Família” e “Assistência Farmacêutica na Atenção Básica”, ambas pela Universidade Federal de Goiás (UFG). Ela é farmacêutica pela Prefeitura Municipal de Goiânia desde 1999, auditora de Saúde da Secretaria Estadual de Saúde de Goiás e é a atual presidente do Sindicato dos Farmacêuticos no Estado de Goiás(Sinfargo) e vice-presidente do Conselho Regional de Farmácia do Estado de Goiás(CRF-GO).