Armas brancas e pé de maconha são encontrados dentro do Complexo Prisional de Aparecida de Goiânia

Operação, que começou às seis da manhã, e contou com a participação de 400 agentes, vistoriou todas as 420 celas e mais de 2.300 presos na POG


Aulus Rincon
Do Mais Goiás | Em: 08/10/2019 às 18:48:04

Armas brancas e pé de maconha são encontrados dentro do Complexo Prisional de Aparecida de Goiânia (Foto: SSP)
Armas brancas e pé de maconha são encontrados dentro do Complexo Prisional de Aparecida de Goiânia (Foto: SSP)

Quase 300 celulares, centenas de chips, mais de mil e quinhentas armas brancas, drogas e até um pé de maconha foram apreendidos nesta terça-feira (8), durante uma operação realizada pelas forças de segurança de Goiás na Penitenciária Coronel Odenir Guimarães (POG), que fica no Complexo Prisional de Aparecida de Goiânia.

Além de cortar por completo a comunicação dos presos com a parte externa, a operação tem como meta esclarecer crimes que estariam sendo ordenados de dentro da cadeia. Para isso, será feita perícia nos aparelhos de telefone celular apreendidos. Todo o material foi encaminhado para a Superintendência de Polícia Técnico Científica (SPTC).

Entre as inúmeras porções de maconha, crack e cocaína que foram apreendidAs, o que mais chamou a atenção foi um pé de maconha que era cultivado em um vaso, escondido dentro de uma das celas da POG. Os agentes também localizaram smartphones de última geração, que ainda estavam dentro das caixas.

A varredura começou às seis da manhã e só terminou às duas da tarde. Participaram 400 agentes, entre servidores do sistema prisional, policiais militares, civis e peritos. Segundo o secretário da Segurança Pública de Goiás (SSP), Rodney Miranda, a operação, que não teve nenhum incidente, conseguiu revistar todas as 420 celas e os 2.300 presos que hoje cumprem pena na POG.

“Tudo isso é para mostrar que quem tem o controle do sistema prisional em Goiás somos nós, e jamais os presos, o que com certeza vai refletir na queda de crimes cometidos aqui fora”, pontuou Rodney Miranda. Ele ainda afirma que a ação é uma sequência de quando 200  líderes de facções criminosas foram transferidos para Planaltina de Goiás.

Armas brancas e pé de maconha são encontrados dentro do Complexo Prisional de Aparecida de Goiânia

A varredura começou às seis da manhã e só terminou às duas da tarde (Foto: SSP)