Eleições 2018

Professora Geli diz que é a novidade para o Senado

A candidata pelo PT está no segundo mandato como vereadora de Anápolis e fala na necessidade de mudanças


Bárbara Zaiden
Do Mais Goiás | Em: 14/09/2018 às 08:55:51

"Eu quero ser a novidade, com o meu nome, no Senado”, afirma a vereadora de Anápolis (Foto: reprodução)

A candidata pelo Partido dos Trabalhadores (PT) ao Senado Federal, Professora Geli, adota o discurso da legenda para a campanha de 2018 em Goiás: necessidade de mudanças e novidades. Contudo, a vereadora já é nome consolidado na política, pois está no segundo mandato no cargo de vereadora em Anápolis.

A coligação do PT com o Partido Comunista do Brasil (PC do B) é intitulada “Mudança de Verdade”. No discurso da candidata, ela diz estar preparada para representar o povo. “Quando é que vai acontecer essa mudança se as pessoas de bem não colocarem seus nomes à disposição?”, afirma a vereadora.

“Eu coloquei o meu nome porque eu ando muito na rua e ouço o cidadão dizer: ‘eu quero mudanças’. Eu nunca fui candidata ao Senado, não tive a oportunidade de trazer aquilo que o Senado pode trazer ao meu estado. Eu quero ser a novidade, com o meu nome, no Senado”, disse.

Questionada se a disputa ao Senado Federal não seria um passo muito grande para quem atuou apenas como vereadora, ela afirma que está preparada para atender a decisão pessoal e do partido. “Eu me sinto privilegiada por ter sido escolhida pelo meu partido. Eu tenho o preparo necessário para estar no Senado representando meu estado”, explica.

Propostas e campanha

Geli foi eleita em 2012 e 2016 como vereadora. Professora aposentada da rede básica de ensino, ela defende a inclusão de deficientes nas escolas e a valorização de professores, além de investimento em infraestrutura e materiais didáticos.

“Eu acredito que a educação transforma as pessoas e elas vão transformar a sociedade. Tudo na sociedade precisa passar pela educação. Se nós tivermos uma educação pública e de qualidade, que consiga atingir a todos, nossos problemas sociais vão ser quase todos exterminados”, explicou a professora.

Com recursos limitados, a estratégia de campanha são os panfletos. No início da semana, Geli se dedica as sessões da Câmara Municipal de Anápolis e nos finais de semana viaja para o interior.

“Estamos trabalhando com o fundo de campanha e com vários voluntários. Professora tem a capacidade de agregar, né? Eu tenho muitos amigos, conhecidos. São essas pessoas que estão nos ajudando. Eu gosto de contar com aqueles que agregam, que vêm até a gente oferecendo ajuda e trabalho”, finaliza.

Partidos

Professora Geli já foi candidata pelo Partido Democrático Trabalhista (PDT) e pelo Partido da República (PR). Por volta de 2011 se filiou ao PT por “entender que ele representa a coletividade, o trabalhador da educação e de outras tantas categorias”, explica.