Após três dias de queimadas, incêndio é controlado nos Parques Ecológico e João Leite

Chamas queimaram 1 mil hectares de vegetação; incêndio foi provocado por ações humanas e não por causas naturais


Thaynara Cunha
Do Mais Goiás | Em: 17/09/2019 às 10:35:29

Incêndio nos parques Ecológico e João Leite teve início na manhã do sábado (14); quase 80 militares participaram do combate (Foto: Divulgação / Bombeiros)
Incêndio nos parques Ecológico e João Leite teve início na manhã do sábado (14); quase 80 militares participaram do combate (Foto: Divulgação / Bombeiros)

Foi totalmente controlado, no início da noite desta segunda-feira (16), o incêndio que atingiu os parques Ecológico e João Leite, na Grande Goiânia. As chamas tiveram início na manhã desse sábado (14) e queimaram cerca de 1 mil hectares de vegetação. Segundo o sub-comandante da Operação Cerrado Vivo, major Eberson Holanda, as chances do incêndio ter sido provocado por causas naturais são quase nulas. A principal suspeita é que ações humanas, como a queima de lixo doméstico e incêndio em pastagens, tenham sido a causa das labaredas que afetaram os parques. Participaram do combate 79 militares e 8 viaturas da corporação.

“Assim que nossa equipe controlou o incêndio, entramos na fase de rescaldo dessas áreas. Nós estamos observando e controlando. Contamos com nossa equipe de especialistas no parque para acompanhar possíveis focos de reignição de incêndio. Estamos utilizando um drone para que a possamos detectar focos com mais rapidez”, declara.

O incêndio teve início nas proximidades do Residencial Vale dos Sonhos, às margens da BR-153. As chamas se espalharam e chegaram próximas à Nerópolis, às margens da GO-080. Os bombeiros suspeitam que as chamas foram causadas por ação humana e se alastraram de forma rápida em razão do tempo seco, vento forte e baixa umidade.

As equipes de combate foram divididas em duas. Uma delas nas proximidades da GO-080, compreende parte da reserva da barragem do João Leite. A outra está localizada no parque Altamiro de Moura, próximo à BR-153. Além dos militares, brigadistas da Secretaria do Meio Ambiente também ajudaram no combate das chamas. As equipes utilizaram abafadores, bombas costais, mangueiras e sopradores. (Veja vídeo abaixo)

*Thaynara da Cunha é integrante do programa de estágio do convênio entre Ciee e Mais Goiás, sob orientação de Hugo Oliveira