Do Mais Goiás

Após ter prisão convertida, major é exonerado do cargo

Major era comandante do Comando de Policialmente Especializado (CPE). O cargo agora será ocupado pelo capitão Ronniery de Morais

Ex-major da PM é condenado a 45 anos por sequestro e estupro de duas irmãs
Ex-major da PM é condenado a 45 anos por sequestro e estupro de duas irmãs

Após ter a prisão convertida em preventiva, o major Cristiano Silva de Macena foi exonerado do cargo de comandante da Companhia de Policiamento Especializado (CPE). As informações são do Comando Geral da Polícia Militar. De acordo com a nota, a corporação destaca que o cargo será ocupado pelo capitão Ronniery de Morais.

O Comando da Instituição reitera seu compromisso com os princípios éticos, morais e legais; além do que, medidas correicionais foram adotadas e o policial militar em comento encontra-se à disposição da justiça!

Cristiano é suspeito de ter estuprado duas irmãs, de 11 e 12 anos, em Rio Verde, no último dia 23 de outubro. Ele foi preso no mesmo dia. O delegado do caso, Carlos Roberto Batista, conta que o policial preferiu ficar em silêncio no momento do depoimento. Elas reconheceram o major na delegacia. Carlos ainda destaca que a avó das crianças foi amarrada e as crianças levadas pelo homem.

O delegado não descarta que o suspeito possa ter premeditado o crime. “Não consta sinais de arrombamento do casa. Por isso que também foi descartada a presença de uma segunda pessoa na participação no crime. Além disso, a casa dele e o veículo passaram por perícia e foram encontrados vestígios que indicam que as meninas estiveram lá. Entretanto, aguardamos os resultados dos laudos para ajudar a concluir as investigações”, destaca.

Os abusos foram comprovados em exames e as vítimas estão passando por tratamento e apoio psicológico. A previsão é que, em dez dias, o inquérito seja revertido ao Judiciário.

A defesa do major, representada pelo advogado George Santos Pereira, afirmou que aguardará ter acesso ao inquérito policial para, então, se pronunciar. Cristiano está detido no presídio militar, em Goiânia.