Chapadão do Céu

Após júri popular, marido acusado de matar mulher a facadas e atear fogo no corpo é condenado a 15 anos de prisão

O irmão da vítima, que teria ajudado no crime, foi absolvido. Crime aconteceu em 2014


Da Redação
Do Mais Goiás | Em: 28/08/2019 às 17:12:40

Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

O marido e o irmão de Lindalva Maria da Silva, acusados de matá-la a facadas e depois atear fogo no corpo, passaram por júri popular na última terça-feira (27) em Chapadão do Céu. A sessão durou cerca de 14 horas. Segundo o Tribunal de Justiça de Goiás (TJ-GO) Milton Mendes (companheiro da vítima), foi sentenciado por homicídio qualificado e terá detenção de 14 anos e três meses. Por destruição de cadáver, a pena é de um ano. Soma-se então 15 anos de reclusão. Já Valdeci Manoel da Silva, irmão da mulher, foi absolvido pelo júri.

O crime aconteceu no dia 1º de agosto de 2014. Conforme as investigações, a motivação seria ciúmes, visto que Milton desconfiava que a vítima estaria tendo um caso com outro homem. O casal estava junto há 11 anos.

Com a ajuda do cunhado, Milton teria assassinado a esposa a facadas e depois colocado o corpo dentro de um carro, que foi incendiado também por eles. A polícia chegou aos dois por meio de objetos que foram encontrados no local do crime. A investigação ainda apontou que a morte de Lindalva foi premeditada.