Cidades

Após greve de vigilantes penitenciários, SSPAP afirma que situação está contornada

Cerca de 2 mil trabalhadores de Goiás paralisaram as atividades nesta segunda-feira




A Secretaria de Segurança Pública e Administração Penitenciária divulgou na tarde desta segunda-feira (9) uma nota garantindo que a situação nas unidades prisionais de Goiás “está completamente contornada”. No início da manhã, cerca de 2 mil Vigilantes Penitenciários Temporários (VPT) anunciaram paralisação por todo o estado.

De acordo com o o presidente do Sindicato dos Servidores do Sistema de Execução Penal, Daniel Alves de Lima, a greve continua, estando suspensas atividades como escolta para o Fórum, entrada de advogados e visitas. 

Entre as reivindicações, estão equiparação salarial com o efetivo, melhores condições de trabalho e de armamento, convocação dos aprovados no concurso de 2014 e o pagamento do auxílio de risco de vida em seu valor original.

A Secretaria informou que conta “com plano de intervenção, se necessário for, de gestão das unidades pela Polícia Militar”, mas “cerca de 99% do efetivo prossegue com seu trabalho no sistema prisional do estado”.

A greve deve ser discutida novamente pela categoria em uma assembleia nesta quinta-feira (12).