Continuidade

Após fim da CEI da Saúde, vereador propõe criação de comissão para prosseguir com investigações

Projeto deve ser apresentado na Câmara Municipal de Goiânia nos próximos dias e ainda precisa ser aprovado pelos parlamentares


Amanda Sales
Do Mais Goiás | Em: 21/05/2018 às 16:07:34

(Foto: reprodução)
(Foto: reprodução)

O presidente da Comissão Especial de Inquérito (Cei) que investiga indícios de irregularidades na rede municipal de Saúde de Goiânia, Clécio Alves (MDB), pretende criar uma Comissão Provisória para prosseguir as investigações relativas ao tema na Câmara Municipal de Goiânia. O projeto deve ser apresentado na Casa nos próximos dias e ainda precisa ser aprovado para ganhar sua formatação regimental, mas a proposta inicial é que o grupo estenda sua atuação até o dia 31 de dezembro de 2020.

Os trabalhos da CEI da Saúde foram concluídos na última sexta-feira (18) e o relatório com a conclusão das investigações ainda vai ser encaminhado aos parlamentares. Para Clécio, a criação de uma Comissão de Saúde Provisória é necessária para prosseguir cobrando os reparos das irregularidades apontadas pelas diligências e oitivas.

No entanto, a atuação da Comissão não é a mesma da CEI. “A comissão pode as mesmas coisas, mas a CEI tem poder de polícia. A CEI tem o poder de convocar para depoimento sob pena de condução coercitiva,  agora não tem mais isso. A CEI tem o respaldo da Constituição Federal para todas as suas ações. O que vamos fazer é dar continuidade ao que já foi feito pela CEI”, esclarece Clécio.

O vereador reitera que os pontos apontados pela CEI – como o sucateamento de frotas de veículos do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), o discrepância entre a quantidade de vagas de Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) e de pacientes na fila de espera e os gastos com a terceirização de raio-x quando a Prefeitura possui aparelhos sem uso – vão ser acompanhados de perto pela nova comissão e os responsáveis vão ser cobrados.

A formação da nova comissão continua a mesma, além de Clécio Alves fazem parte: Elias Vaz (PSB), Cristina Lopes (PSDB), Paulo Daher (DEM), Anderson Sales (DC) e Calin Café (PPS). Sobre alguns dos nomes da comissão serem pré-candidatos, Clécio descartou qualquer relação com as eleições deste ano.  “Vai ter a anuência e a participação de todos os vereadores de Goiânia, porque o propósito dessa Comissão não é político, nem eleitoreiro, nem partidário. O propósito é acabar com essa falta de transparência que envolve a saúde”, argumenta o vereador.