Política

Após divulgar nota com “ataques” a promotor, ex-secretário é acionado por difamação no MP

Segundo Krebs, acusado de agir com interesses próprios no órgão ministerial, cada publicação gerada pela nota de Furtado será respondida com ações judiciais. Para ele, seu caráter foi questionado publicamente por meio da mídia


Hugo Oliveira

Do Mais Goiás | Em: 17/10/2018 às 13:32:15


João Furtado, segundo Krebs, resolveu atacá-lo, ao invés de se defender de ações de improbidade (Foto: reprodução/Affego)
João Furtado, segundo Krebs, resolveu atacá-lo, ao invés de se defender de ações de improbidade (Foto: reprodução/Affego)

Na terça-feira (16), o promotor do Ministério Público estadual (MP-GO) Fernando Krebs encaminhou uma representação contra o ex-titular das secretarias de Segurança Pública (SSP) e da Fazenda (Sefaz), João Furtado, por injúria e difamação. A iniciativa ocorreu após o ex-gestor e atual procurador do estado ter encaminhado nota à imprensa com “ataques” à pessoa de Krebs. O motivo foi o pedido do promotor que culminou, na segunda-feira (15), no bloqueio dos bens de Furtado, o qual responde por três ações de improbidade administrativa. Agora, o representante ministerial afirma que acionará João criminal, civil e funcionalmente na Justiça.

Entre outros apontamentos, Furtado considerou o pedido de Krebs “uma baixaria jurídica de má fé” realizada por um “um mau caráter que infelizmente ocupa em proveito próprio um cargo de Promotor Público”. De acordo com Krebs, João questionou seu caráter publicamente por meio da mídia e, em entrevista exclusiva ao Mais Goiás – por telefone –, revelou que irá acionar o autor criminal, civil e funcionalmente para cada publicação gerada a partir da nota.

Fernando ressalta que nunca recebeu um “ataque” como este. “Foi um ataque pessoal, nunca recebi nada parecido e para cada publicação, ele será processado criminal, civil e funcionalmente porque, além de tudo, ele é agente público e deveria manter conduta sóbria e respeitosa. Ainda hoje vou entrar com representação funcional e devo também entrar com ação de danos morais. Ao invés de se defender, resolveu me atacar”, lamenta.

Conforme expõe o representante do parquet – ou seja, do MP -, esta não foi a primeira vez em que João Furtado tece ataques contra sua pessoa. “Ele já tinha me atacado antes, na verdade, desde a primeira ação de improbidade que iniciei contra ele, sobre a locação de veículos para a empreiteira Delta, quando ele ainda era titular da SSP, em meados de 2012. Não tinha processado ainda, mas agora vou. Tem gente que se acha acima da lei. A nota fala por si.

Krebs observa que “não entrará em polêmica” e não irá comentar os termos da nota ofensiva. “A resposta será judicial. Não vou entrar em polêmica porque não trabalho da mesma forma que ele. Cada publicação da nota irá gerar também uma nova ação de dano moral. Entrarei na Justiça por meio da Associação Goiana do MP, quem irá conduzir será o advogado Alexandre Yunes”, conclui.

A redação tentou contato com João Furtado, mas as ligações não foram atendidas. Caso o ex-secretário queira manifestar-se, o Mais Goiás reserva espaço para suas declarações.

Nota resposta

A Associação Goiana do Ministério Público (AGMP) se manifestou sobre o caso por meio de nota, confira a íntegra:

“A Associação Goiana do Ministério Público – AGMP, entidade de classe que congrega membros, ativos e aposentados, do Ministério Público do Estado de Goiás, tendo em vista o conteúdo ofensivo da nota do ex-secretário de Governo João Furtado de Mendonça Neto veiculada pela imprensa goiana, esclarece e informa o que segue. O promotor de Justiça Fernando Aurvalle da Silva Krebs, no exercício de suas prerrogativas e no cumprimento do seu dever legal, propôs ação civil pública por prática de ato de improbidade administrativa em face do citado ex-secretário de Estado, com pedido liminar de bloqueio de bens, o qual foi acolhido pelo órgão competente do Poder Judiciário. É direito do ex-secretário demonstrar inconformismo e defender a versão que lhe aprouver em relação às imputações que lhe foram efetuadas. Contudo, não é lícito ou aceitável que extrapole o seu direito de defesa, dirigindo ofensas pessoais e acusações vagas contra um membro do Ministério Público. Por essas razões, a Associação Goiana do Ministério Público – AGMP vem a público externar apoio ao promotor de Justiça Fernando Aurvalle da Silva Krebs, titular da 57° Promotoria de Justiça de Goiânia, reafirmando que o Ministério Público e seus membros se manterão firmes no propósito de defender o patrimônio público e a sociedade”.