Após denúncia, deputado afasta suposta servidora fantasma das funções na Alego

Em reunião com presidente da Alego, ficou decidida abertura de sindicância para apurar o caso internamente. A casa e o deputado ainda não foram citados


Hugo Oliveira
Do Mais Goiás | Em: 08/03/2018 às 09:18:54

Denúncia do MP gera afastamento de servidora considerada
Denúncia do MP gera afastamento de servidora considerada "fantasma" (Foto: reprodução/internet)

Após a denúncia de que o deputado Luís César Bueno (PT) poderia estar empregando em seu gabinete uma funcionária fantasma, o presidente da Assembleia Legislativa, José Vitti (PSDB), se reuniu com o colega para tratar da situação na tarde de quarta-feira (7). Por iniciativa de Luís, a servidora Lindomar Maria de Jesus foi temporariamente afastada do cargo e o presidente solicitou abertura de sindicância para avaliar a ocorrência de equívocos relacionados ao caso.

Vitti, assim como Bueno, afirmaram que ainda aguardam notificação do Ministério público. “A casa não foi notificada pelo MP. É bom que fique claro que a Mesa Diretora autoriza a contratação, mas a responsabilidade pela frequência e qual atividade a pessoa exerce é do parlamentar”, destaca José. O presidente enfatiza ainda não haver qualquer anormalidade no que diz respeito à prestação de serviço externo ao gabinete, fora das dependências da Alego.

Luís também reforça que não foi comunicado oficialmente. “Fiquei sabendo pela imprensa. Aguardamos notificação para providenciar a defesa. Adianto que a resolução 1.118, da casa, estabelece que horários, funções e atividades e datas dos servidores externos serão determinados pelo gabinete. Tenho 18 anos de vida pública e esta é a primeira denúncia contra mim. Por uma questão de ética, afastei temporariamente a servidora”.

Para ele, considerar que todos os servidores devem estar no ambiente interno da assembleia é um erro. “É um grande equívoco. Como que um assessor que está em Catalão ou em outra cidade vai conseguir prestar contas de sua presença aqui na Assembleia? Além disso, acho muito estranho, eu, que sou um legislador, ter ficado sabendo de uma denúncia contra mim, por meio de vocês, da imprensa. Ajudo a redigir inclusive as leis que regem o funcionamento do Ministério Público. Isso não deveria ocorrer”, critica.