Goiânia

Após constatação de irregularidades, SMS afirma que problemas no Cais de Campinas foram reparados

Em fiscalização realizada em junho deste ano, Cremego solicitou à secretaria uma série de adequações a serem feitas na unidade


Larissa Lopes
Do Mais Goiás | Em: 12/09/2019 às 18:45:27

(Foto: reprodução)
(Foto: reprodução)

O prazo para correção dos problemas no Centro de Atenção Integrada à Saúde (Cais) do setor Campinas, em Goiânia, terminou nesta quinta-feira (12) e a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) afirma que eles foram resolvidos. As irregularidades foram constatadas em junho deste ano. Dentre os apontamentos estão escassez de materiais, insumos e medicamentos, poucos médicos em plantão e até mesmo infiltrações, mofo e cupins em alguns ambientes.

Segundo o Conselho Regional de Medicina de Goiás (Cremego), desde 2012 há constantes fiscalizações na unidade de saúde. “Após várias notificações aos gestores da saúde e sem que medidas fossem adotadas para sanar os problemas na unidade que é uma referência em atendimento pediátrico na capital goiana, o Cremego aprovou, em agosto de 2018, a interdição ética total do exercício profissional no Cais”, informa o órgão. “Mas, a medida foi suspensa por uma liminar da Justiça antes de entrar em vigor”, acrescenta.

Depois da fiscalização em junho deste ano, o Conselho encaminhou o relatório da vistoria ao Ministério Público do Estado de Goiás (MP-GO) a um juiz que, em 2018, havia suspendido a liminar de interdição. Também foram acionados a Prefeitura de Goiânia e para Secretaria Municipal de Saúde (SMS) para que fizessem os reparos. Desta forma, o Centro seguiu funcionando. Contudo, o Conselho fez recomendações a serem cumpridas até esta quinta-feira (12).

Ao Mais Goiás, a SMS esclarece que “tem feito todo o possível para suprir o défict de médicos no Cais Campinas e demais unidades de saúde do município”. E que entre os meses de maio e setembro 147 médicos foram contratados. Além disso, editais de credenciamento estão abertos.

“Especificamente nesta quinta-feira, 12, nove médicos estão atendendo no Cais Campinas, sendo quatro clínicos e cinco pediatras”, informa a secretaria. A respeito da permanência de pacientes na unidade por mais de 24 horas, a SMS afirma que isso ocorre nos casos onde há necessidade de internação e até que haja liberação de vagas na rede conveniada de hospitais. Já em relação a questão estrutural, a pasta informa que os problemas já foram sanados.

 

Segundo o Cremego, na última fiscalização foram constatados os seguintes déficits:

– Poucos médicos nas escalas de plantão

– Escassez de materiais

– Escassez de medicamentos e insumos para exames

– Permanência de pacientes por mais de 24 horas no setor de emergência

– Longa espera por atendimento médico

– Infiltrações, mofo e cupins em alguns ambientes

 

Confira a nota da SMS na íntegra:

A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) esclarece que tem feito todo o possível para suprir o défict de médicos no Cais Campinas e demais unidades de saúde do município. De maio a setembro foram contratados 147 médicos em diversas especialidade. Esclarece ainda que os editais para credenciamento continuam  abertos. Especificamente neste quinta-feira, 12, nove médicos estão atendendo no Cais Campinas, sendo quatro clínicos e cinco pediatras. A respeito da permanência de pacientes na unidade por mais de 24 horas, a SMS informa que isso ocorre nos casos onde há necessidade de internação e até que haja liberação de vagas na rede conveniada de hospitais. Quanto a demora no atendimento no Cais, a SMS esclarece que isso ocorre por causa da grande procura pela unidade que está situada numa área centralizada. Informa também que 85% dos pacientes atendidos na unidade são classificados como ficha verde, casos mais simples que poderiam ser atendidos na atenção básica, onde sobram vagas. Sobre a questão estrutural, os problemas foram sanados com o reforço no trabalho de manutenção. A SMS Informa ainda que não há falta de medicamentos e insumos para exames