PROTESTO

Após assembleia, auditores de Goiânia decidem não compor secretaria de Finanças

A recomendação, que foi votada e aprovada na assembleia, é uma resposta à reforma administrativa da prefeitura


Ton Paulo
Do Mais Goiás | Em: 06/01/2021 às 19:15:55

Elísio Gonzaga da Silva (Foto: Reprodução/Affim)
Elísio Gonzaga da Silva (Foto: Reprodução/Affim)

Após promoverem uma assembleia deliberativa na tarde desta quarta-feira (6), auditores fiscais do município de Goiânia decidirão que os profissionais não deverão ocupar nenhum cargo da prefeitura. A recomendação, que foi votada e aprovada na assembleia, é uma resposta à reforma administrativa que, segundo o presidente da Associação dos Auditores de Tributo do Município, Elísio Gonzaga, “acabou com a Lei Orgânica” dos auditores fiscais.

De acordo com Gonzaga, ficou decidido na assembleia que a associação representará junto à Ordem dos Advogados do Brasil – Seção Goiás (OAB-GO), ao Ministério Público de Goiás (MP-GO) e ao Tribunal de Contas do Município (TCM) contra a lei que instituiu a reforma administrativa da Prefeitura de Goiânia e que, conforme o presidente, “extinguiu os cargos privativos” de auditor fiscal.

Além disso, Gonzaga declarou que foi votado e decidido que nenhum auditor fiscal deverá ocupar cargos na Secretaria de Finanças. “A recomendação da assembleia é que nenhum dos auditores deve compor a equipe do secretário de Finanças do município [Alessandro Melo]. Mas é questão da vontade de cada um. Se um ou outro aceitar um cargo, ele não tem respaldo da classe e nem das entidades representativas”, afirmou o presidente.

Ao Mais Goiás, Gonzaga, que manifestou o descontentamento da classe com o retorno de Alessandro Melo ao cargo de secretário, afirmou que ele “acabou com todos os cargos” e que agora pode “criar [cargos], recriar, exonerar na hora que ele quiser”. “Não é mais privativo para auditor tributário. Ele poder colocar qualquer um que seja de interesse no político no poder”, pontuou.

O que diz a secretaria

A reportagem do Mais Goiás segue tentando contato com a pasta liderada por Alessandro Melo. O espaço permanece aberto.

No entanto, mais cedo, a secretaria disse em nota que “não haverá entrega coletiva de cargos” e que os “auditores de tributo que estavam à frente da pasta na gestão Iris Rezende já tinham aceitado o convite do secretário Alessandro Melo para permanecer nos cargos de chefia que compõem a Secretaria Municipal de Finanças”.

Veja abaixo:

“Ao contrário do que foi informado, não haverá entrega coletiva de cargos. Pelo contrário, os auditores de tributo que estavam à frente da pasta na gestão Iris Rezende já tinham aceitado o convite do secretário Alessandro Melo para permanecer nos cargos de chefia que compõem a Secretaria Municipal de Finanças. A notícia inclusive surpreendeu toda a equipe e não espelha a realidade.

Superintendente da Administração Tributária na gestão Iris Rezende, Lucas Morais, por exemplo, foi o primeiro convidado para integrar a equipe e aceitou o convite ainda na manhã de segunda-feira, 04. Frederico Marques é outro nome que já havia decidido permanecer à frente do Conselho Tributário Fiscal. Também estão definidos como integrantes da equipe de chefia dos auditores Adriel Igarashi, Bruno de Castro, Mariele Dares, Mishel Reis, Nélia Paula, Rodrigo de Paula e Sirlene Mendanha. Além deles, todos os cargos que serão criados na administração tributária serão ocupados por auditores de tributo, compromisso que já havia sido firmado pelo secretário de Finanças”.