Em Aparecida de Goiânia

Após adiamento, João de Deus segue para hospital onde passará por ressonância magnética

Segundo advogado, médium perdeu 17kg nos últimos 30 dias. Fraqueza seria o motivo de desequilíbrios e consequentes quedas, que podem ter deixado lesões na cabeça do detido


Hugo Oliveira
Do Mais Goiás | Em: 23/08/2019 às 09:41:30

(Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil)
(Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil)

O médium João de Deus deixou o Núcleo de Custódia do Complexo Prisional de Aparecida de Goiânia. Ele segue para o Hospital São Silvestre, em Aparecida de Goiânia, onde passará por um exame de ressonância magnética. De acordo com advogado do médium, a equipe de saúde irá avaliar a existência de possíveis danos, decorrentes de quedas em que o detido bateu a cabeça. A saída para a unidade de saúde estava prevista para quinta-feira (22).

Segundo o advogado Anderson Van Gualberto de Mendonça, João Teixeira de Faria tem sofrido quedas frequentes na unidade prisional, as quais podem ter sido ensejadas por uma fraqueza que afeta o médium há cerca de um mês. “Ele perdeu 17kg nesses últimos 30 dias. Assim, perdeu muita massa muscular. A idade e várias medicações que ele toma também podem ter influência nisso”, observa.

O mais grave dos acidentes ocorreu, segundo o defensor, no último 9 de agosto, quando João de Deus ficou com “um grande hematoma na cabeça”. “Agora, vamos ver se as quedas geraram algum outro tipo de lesão”.

O Mais Goiás chegou a noticiar a agenda para quinta (22), no entanto, acabou não ocorrendo. “O hospital me ligou dizendo que o exame não tinha sido realizado porque ele não pôde ir. A Justificativa do Núcle de Custódia para a unidade de saúde foi que não havia veículo para fazer o transporte”.

Este portal entrou em contato com a Diretoria-Geral de Administração Penitenciária (DGAP) para saber a razão do adiamento. No entanto, nota expedida pelo órgão alegou que “por questões de segurança, essas informações são restritas à segurança penitenciária”.

João de Deus está preso desde dezembro de 2018, quando passou a ser acusado por centenas de casos de abuso sexual.