Fabricio Moretti
Do Mais Goiás

Apesar do nome, Guaraná Jesus foi criado por um ateu; saiba a história

Criador do refrigerante rosa era comunista, foi excomungado pela Igreja Católica e chegou a ser preso

refrigerante Apesar do nome, Guaraná Jesus foi criado por um ateu; saiba a história
(Foto: Reprodução)

Era a década de 1920 quando o maranhense Jesus Norberto Gomes criou a fórmula do refrigerante que, 93 anos depois, viraria polêmica por causa do presidente da república. Na última quinta-feira (29), Jair Bolsonaro (sem partido) tomou o Guaraná Jesus e questionou se teria virado “boiola”, devido à cor rosa da bebida.

Bolsonaro teria outros motivos para causar burburinho por conta da bebida rosa. Mal sabe o presidente que o criador do refrigerante o qual consumiu, mesmo com o nome de “Jesus”, era declaradamente ateu e tinha fama de comunista.

Jesus Norberto era farmacêutico e tinha o costume de batizar suas invenções com o próprio nome, como o Antigripal Jesus, o Xarope Peitoral Jesus e a Jesulina Pasta Dentifrícia.

Em 1927, o maranhense criou a fórmula do refrigerante acidentalmente, enquanto fazia um xarope para os netos. A fórmula era totalmente à base de extratos vegetais, até mesmo o corante.

Aventuras na História · O ateu, com fama de comunista, que inventou o Guaraná Jesus

Jesus Norberto Gomes (Foto: Reprodução)

Em 2007, Fábio Gomes, neto do criador do Guaraná Jesus, revelou que o avô era pioneiro em explorar a Amazônia. “Antes de todo mundo começar a falar em biodiversidade, ele já achava que o grande tesouro farmacológico do mundo estava na Amazônia“, disse.

Fábio também esclareceu que o avô tinha uma visão à frente em relação aos direitos trabalhistas. “Quando ninguém falava em participação dos funcionários, ele dava participação nos lucros da farmácia”.

Jesus Norberto chegou a ser excomungado pela Igreja Católica após uma briga com um padre. A família conta que ele, bem-humorado, encomendou da Alemanha diversas esculturas de Fausto (personagem que vende a alma ao demônio) e as colocou na entrada da farmácia, somente para alimentar a lenda.

Junto a outras oitenta pessoas, em novembro de 1935 o criador do Guaraná Jesus foi preso sob a acusação de associação ao movimento conhecido como “Intentona Comunista“. Os presos foram levados para o Rio de Janeiro, onde permaneceram até o ano seguinte.

O farmacêutico morreu em 1963. O neto Fábio Gomes ainda guarda uma cópia da carta-testamento que o avô escreveu pedindo um funeral modesto e determinando a doação de uma quantia em dinheiro para o Partido Comunista.

Apesar do nome, Guaraná Jesus foi criado por um ateu; saiba a história

(Foto: Redes Sociais)

Em 2001, o Guaraná Jesus foi adquirido pela Coca-Cola Brasil, passando a fazer parte do portfólio de marcas da empresa. Em 2008, o refrigerante realizou a primeira grande mudança na identidade visual, sendo o desenho escolhido por votação popular.

Segundo o site da Coca-Cola, a bebida é comercializada em mais de 270 cidades do Nordeste. “O sabor que mistura traços de cravo e canela e a coloração rosa chiclete transformou o Guaraná Jesus em um dos principais símbolos do estado do Maranhão“, lê-se.

Antes o “refri” era engarrafado somente em São Luís e distribuído no Maranhão, Piauí e Tocantins. Agora, o Guaraná Jesus ganhou mais praças: desde 2016 passou a ser vendido em São Paulo, Minas Gerais, Paraná e Brasília.

*Com informações do Diário do Centro do Mundo