Igor Caldas
Do Mais Goiás

Aparecida deve mudar Matriz de Risco para cenário amarelo

A mudança de cenário deve trazer flexibilizações na publicação da próxima Portaria pela prefeitura

Escalonamento Aparecida (Foto: Claudivino Antunes/SecomAparecida)
Escalonamento Aparecida (Foto: Claudivino Antunes/SecomAparecida)

Em reunião do Comitê de Prevenção e Enfrentamento ao Novo Coronavírus de Aparecida (COE) da última terça-feira (6), ficou decidido a mudança da Matriz de Risco da cidade para risco moderado, indicado pela cor amarela. A mudança do cenário vai trazer mais flexibilizações de atividades comerciais que devem ser publicadas em Portaria no Diário OFicial Eletrônico do município nos próximos dias.

De acordo com as regras do escalonamento por Matriz de Risco publicadas no Diário Oficial Eletrônico (DOE) do município no dia 14 de março, na indicação de risco moderado (cenário amarelo), cada macrozona de Aparecida fecha apenas uma vez por semana de segunda a sexta-feira e abre metade do dia aos sábados. A cidade permite o funcionamento de atividades comerciais em shopping centers e feiras livres.

O DOE do dia de 14 de março também estabelece que na  Matriz de Risco Amarela, os estabelecimentos comerciais e ou industriais não poderão realizar atividades internas, mesmo que apenas de limpeza, organização e manutenção do estabelecimento. Aos domingos todas as regiões de Aparecida de Goiânia deverão ter suas atividades comerciais suspensas.

A exceção das atividades que podem funcionar são serviços de Saúde de Urgência e Emergência, Supermercados/Mercados, Postos de Combustíveis, Distribuidoras de Gás Liquefeito de Petróleo (GLP), Panificadoras/Padarias, Farmácias/Drogarias, Serviços de Urgência e Emergência Veterinária, Pet shops (serviços de higiene e embelezamento de animais domésticos somente na modalidade “leva e traz”) e Restaurantes (na modalidade “delivery”, para retirada ou drive-thru).

A Portaria que estabelece a mudança de Matriz de Risco ainda não foi publicada pela prefeitura de Aparecida de Goiânia, mas a mudança foi confirmada ao Mais Goiás por fontes que participaram da reunião do COE na última terça-feira (6). Atualmente, a Matriz de Risco do município continua no cenário de risco alto, da cor laranja. Neste cenário, cada macrozona fecha duas vezes por semana de segunda a sexta-feira e fecha durante todo fim de semana.

Marca de 1000 mortes

O município pode alcançar a marca de 1000 mortes causadas pela Covid-19 ainda nesta semana. O último Boletim Epidemiológico do município registra 985 óbitos causados pela infecção. No dia 14 de março, quando da publicação da Portaria que estabelece as regras para o cenário laranja, a média móvel de mortes por Covid-19 em Aparecida de Goiânia estava em 7,7 mortes por dia.

De acordo com dados do Boletim Epidemiológico do município, a média móvel de mortes está estabilizada desde o último mês. A média móvel de novos casos apresenta tendência de queda no município desde o início do mês. A taxa de ocupação de UTIs privadas está sem vagas desde o início de abril. A taxa de ocupação de UTIs públicas apresentou redução e está em 66%.

Acompanhe a curva de óbitos e novos casos de Covid-19 no município:

Cenário de Abril

O Boletim Extraordinário do Observatório Covid-19 publicado pela Fundação Oswaldo Cruz na última terça-feira alerta para a piora do cenário da infecção viral em todo território nacional no mês de abril. Segundo pesquisadores que fizeram o estudo, a novas variantes do vírus permanecem em circulação intensa em todo o país, o que pode estender a crise sanitária e dos sistemas e serviços de saúde nos estados brasileiros e suas capitais.

O estudo também indica que o aumento da taxa de letalidade das novas variantes passou de 3,3% para 4,2%, contra 2% no final de 2020 e que é fundamental adotar medidas de contenção das taxas de transmissão e crescimento de casos por meio de bloqueio ou lockdown (confinamento). Os pesquisadores também recomendam o fortalecimento da rede de serviços de saúde e aceleração da imunização da população.