Francisco Costa
Do Mais Goiás

Taxa de transmissão do coronavírus cai em Aparecida

"Queda demonstra que a população tem aderido ao escalonamento", diz prefeito

Aparecida deixa taxa de transmissão de Covid sem controle
Aparecida deixa taxa de transmissão de Covid sem controle (Foto: Wigor Vieira)

Dados da secretaria de Saúde de Aparecida informam que a taxa de transmissão da Covid-19 chegou, nesta semana, em 0,94. Ou seja, a cada 100 pessoas que estão com a doença no momento, outras 94 podem ser contaminadas. Segundo parâmetros do Imperial College de Londres, o número representa uma tendência de desaceleração, sendo menor, que o do País, 1,12 (conforme plataforma científica Loft).

Ainda segundo o Imperial College, quando o índice está acima de 1, é sinal de que a doença avança sem controle. Em 1,12, a cada 100 pessoas contaminadas, outras 112 pegam a doença. Para o prefeito Gustavo Mendanha (MDB) ainda é cedo para comemorar, por isso ele pede que os aparecidenses sigam no distanciamento social, usando máscara e seguindo as normas de distanciamento social.

Ainda assim, ele destaca: “A taxa de transmissão é essencial para que o município elabore decretos e analise a liberação ou a restrição das atividades. Essa queda demonstra que a população tem aderido ao escalonamento regional e que tem funcionado nossa estratégia de priorizar a proteção à vida humana com a abertura de leitos para a covid-19, o tratamento dos doentes com rigor científico, a testagem em massa e o isolamento e monitoramento dos infectados.”

Vale lembrar, ainda, que, segundo dados da SMS de quarta (31), Aparecida estava no cenário laranja, ou seja, de alto risco. Além disso, na data, a taxa de ocupação de leitos de UTI para covid-19 estava em 82% e a taxa de positividade dos exames RT-PCR (que levam, em média, 24h para ficarem prontos) para detecção da covid-19 estava em 24%.

“O isolamento social intermitente está contribuindo para melhorar o índice de contaminação em nossa cidade. Todavia, é preciso repetir incansavelmente que estamos lidando com uma variante do novo coronavírus que é mais contagiosa, letal e agrava-se mais rapidamente, e por isso ninguém pode se descuidar agora. Mantenham os cuidados, usem as máscaras tapando o nariz e a boca e fiquem em casa sempre que puderem”, diz o titular da pasta Alessandro Magalhães.

Escalonamento

Atualmente, o município funciona no modelo de isolamento social intermitente por escalonamento regional. O mesmo modelo já havia sido adotado entre junho e agosto do ano passado. Segundo a administração municipal, na época, a medida apresentou 98% de adesão da população.

O isolamento social por escalonamento divide a cidade em 10 macrozonas. De segunda a sexta-feira, quatro macrozonas ficam com o comércio fechado. No sábado, a cidade toda fecha às 13h. O domingo é dia de fechamento total de todo o município.

Na segunda-feira, fecham as macrozonas: Vila Brasília, Buriti Sereno, Alto Paraíso e Cidade Livre. Terça-feira, fecham as macrozonas: Vila Brasília, Garavelo, Alto Paraíso e Zona da Mata. Quarta-feira é a vez das macrozonas do Garavelo, Centro, Zona da Mata e Expansul. Na quinta-feira ficam fechadas as macrozonas do Centro, Santa Luzia, Expansul e Papillon. Sexta-feira fecha as macrozonas do Santa Luzia, Buriti Sereno, Papillon e Cidade Livre. Todas as macrozonas fecham no sábado das 13h e no domingo o dia todo.