Jessica Santos
Do Mais Goiás

Aos 94 anos, morre Toniquinho JK, padrinho e cunhado de Maguito Vilela

Advogado foi internado nesta quarta-feira (20) no Hospital do Coração, em Goiânia, após sentir dores no peito

O advogado e auditor fiscal Antônio Soares Neto, mais conhecido como Toniquinho JK, morreu desta quinta-feira (21), no Hospital do Coração, em Goiânia. (Foto: Reprodução)
O advogado e auditor fiscal Antônio Soares Neto, mais conhecido como Toniquinho JK, morreu desta quinta-feira (21), no Hospital do Coração, em Goiânia. (Foto: Reprodução)

O advogado e auditor fiscal Antônio Soares Neto, mais conhecido como Toniquinho JK, morreu, na manhã desta quinta-feira (21), no Hospital do Coração, em Goiânia. Toniquinho, que era padrinho e cunhado do ex-governador Maguito Vilela, tinha 94 anos e foi internado na unidade de saúde na quarta-feira (20) após sentir dores no peito. O corpo será velado na Câmara Municipal de Jataí nesta sexta-feira (22).

Antônio ficou conhecido como Toniquinho JK durante comício do então candidato à Presidência da República, Juscelino Kubitschek, em Jataí, em abril de 1955. Na ocasião, o então corretor de seguros de 29 anos questionou o presidenciável sobre a transferência da capital federal para o Centro-Oeste brasileiro na presença de cerca de 5 mil pessoas.

“O senhor prometeu cumprir a Constituição. Nela está prevista a transferência da capital para o interior do país, o senhor vai cumprir também isso?”, perguntou Toniquinho. Juscelino, pego de surpresa, demorou a responder a pergunta, mas prometeu cumprir a promessa. Mais tarde, após ser eleito, nasceu a obstinação do presidente em construir a capital Brasília.

Em entrevista ao Mais Goiás, o ex-governador Maguito Vilela disse que Toniquinho era a última testemunha da história em torno da transferência da capital. “Todas as outras pessoas que estiveram presentes neste processo já morreram. O ex-presidente JK, a esposa dele e tantos outros se foram. Agora perdemos também a última testemunha deste marco”, disse.

Maguito ressaltou ainda que a família está bastante abalada com a notícia. “Ele era muito querido. É uma pessoa que já foi homenageada muitas vezes em todo o Brasil. É uma perda muito difícil e triste”.

Ainda conforme informações repassadas pelo ex-governador, o velório de Toniquinho será realizado na Câmara Municipal de Jataí, cidade de origem do advogado. A prefeitura do município decretou luto oficial por três dias.