Do Mais Goiás

AO VIVO: CPI ouve Luana Araújo, médica dispensada antes de tomar posse no MS

Luana foi anunciada para o cargo de secretária extraordinária de Enfrentamento à Covid, mas a nomeação foi retirada dez dias depois

Luana foi anunciada, mas a nomeação foi retirada dez dias depois
Luana foi anunciada, mas a nomeação foi retirada dez dias depois (Foto: reprodução/redes sociais)

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) ouve, na manhã desta quarta-feira (2), a médica infectologista Luana Araújo. A profissional chegou a ser anunciada para o cargo de secretária extraordinária de Enfrentamento à Covid-19, do Ministério da Saúde (MS), mas a nomeação foi cancelada dez dias depois. Ela teria sido indicada pelo atual ministro da Saúde, Marcelo Queiroga.

A convocação de Luana ocorreu de última hora e pegou muitos senadores governistas de surpresa. O objetivo era ouvir a médica antes do novo depoimento do ministro Queiroga, que está agendado para o próximo dia 8 de junho.

O requerimento para que Luana fosse convocada à CPI partiu dos senadores Alessandro Vieira (Cidadania-SE) e Humberto Costa (PT-SE), após o cancelamento da sua nomeação. “Isso aconteceu muito recentemente e ainda há dúvidas sobre o que fez o governo, o Ministério da Saúde, ao não nomear efetivamente essa pessoa. Há rumores de que seria pelo fato de que ela questiona vários pontos da condução política que o governo tem dado ao enfrentamento da pandemia”, disse Humberto.

Quando foi anunciada para o cargo de secretária, Luana disse quer iria “coordenar a resposta nacional à covid-19, em diálogo permanente com todos os atores”. Mas, dias depois, através de nota, o Ministério da Saúde afirmou que a pasta buscava “outro nome com perfil profissional semelhante: técnico e baseado em evidências científicas”.