Do Mais Goiás

Admiração pelos irmãos mais velhos fez Anis Rassi descobrir vocação para medicina

Anis, que morreu neste domingo, transformou Goiânia em referência em estudos sobre Doença de Chagas

Médico cardiologista Anis Rassi (Foto: Arquivo da família)
Médico cardiologista Anis Rassi (Foto: Arquivo da família)

Um dos pioneiros da medicina goiana, o cardiologista Anis Rassi faleceu em decorrência de uma parada respiratória na madrugada deste domingo (6), aos 91 anos. Anis, último de seis filhos a falecer, descobriu a vocação pela medicina ainda na infância e de forma espontânea. Ele via seus irmãos mais velhos, já médicos, como referência e admiração. Anis e os irmãos Raul, Alberto, Luiz, Fued e Afif Afrânio Rassi eram filhos de comerciantes libaneses e receberam os primeiros números inscritos no Conselho Regional de Medicina de Goiás (Cremego).

Leia também: Velório do médico Anis Rassi começa às 10h e sepultamento será às 15h

Além de fundador do hospital que leva o seu nome, Anis foi responsável pela condução de um grupo de estudos sobre a Doença de Chagas que alçou Goiânia à condição de referência nacional e internacional no tratamento da enfermidade.

Anis nasceu no município de Vianópolis, região sul do estado. Graduou-se em medicina no Rio de Janeiro, entre 1948 e 1953, na Faculdade Nacional de Medicina da Universidade do Brasil. Especializou-se em cardiologia e construiu carreira em Goiânia. Em 1956, casou-se com Evelyn Gabriel Rassi, com quem teve cinco filhos. Evelyn faleceu em 2019.

Doença de Chagas

O presidente da Associação Médica de Goiás (AMG), Dr. Washington Luiz Ferreira Rios, reconhece a importância do legado de conhecimento deixado por Anis Rassi para toda medicina. “O seu maior feito, foi montar um grupo pioneiro que estudava todo ciclo da doença de chagas e levou Goiânia a se tornar referência nacional e internacional no tratamento da doença”, afirma.

Segundo Washington, um grupo de estudo que reunia especialistas na medicina para todas as etapas do ciclo da doença de chagas nunca havia sido feito antes. “Dr. Anis Rassi valorizava e teve uma intensa produção cinetífica na área acadêmica quando médicos não se preocupavam em escrever e publicar artigos científicos”, destacou.

A equipe de estudos que alçou Goiânia à referência no tratamento da doença de chagas era composta por Dr. Luccheti, na parte laboratorial; o irmão de Anis Rassi, Dr. Luiz Rassi e Dr. Hélio Moreira desenvolviam estudos nas áreas das complicações intestinais e cirúrgicas; Dr Jofre Marcondes Rezende, estudava a parte clínica do trato gastrointestinal; e finalmente, a parte dos estudos cardiológicos, era desenvolvida por Anis Rassi.

Legado de Médicos

A contribuição de Anis Rassi na medicina não ficou relegada ao conhecimento e estudos científicos, mas também de profissionais médicos. O cardiologista sempre estimulou sua família a seguir a profissão. Quatro dos seus cinco filhos são médicos e cinco de seus netos escolheram a mesma profissão. O irmão de Anis Rassi, Raul, foi o primeiro a se formar em medicina no estado, e foi o fundador do Conselho Regional de Medicina (Cremego).

Anis Rassi gostava de contar que Raul era para ter o CRM de número 1 em Goiás. No entanto, cedeu o lugar para o médico João Teixeira, cunhado do ex-governador de Goiás e fundador da capital, Pedro Ludovico Teixeira. O cardiologista dizia que o primeiro da fila para receber o número do CRM seria seu irmão, mas quando ele percebeu que o segundo lugar estava sendo ocupado por Dr. João Teixeira, seu chefe no ambulatório, cedeu a primeira posição da fila e passou a ser o número dois.

Pesares

De acordo com o presidente da Associação Goiana de Cardiologia, Dr. Leonardo Sara, Anis Rassi foi um dos médicos mais importantes na história da medicina goiana. “Ele deixa uma legião de discípulos que o consideram de grande importância para formação médica e ofereceu, durante toda sua vida, uma enorme contribuição para o conhecimento da doença de chagas e para cardiologia”. Em nome da Sociedade Goiana de Cardiologia, Leonardo Sara, se solidariza neste momento de tristeza com toda família do médico e compartilha o luto pelo falecimento do cardiologista Dr. Anis Rassi.

Por meio de notas, a Associação Médica de Goiás (AMG), Conselho Regional de Medicina do Estado de Goiás (CREMEGO), o Sindicato dos Laboratórios de Análises e Banco de Sangue do Estado de Goiás (Sindilabs -GO), Federação dos Hospitais, Laboratórios, Clínicas de Imagem e Estabelecimentos de Serviços de Saúde do Estado de Goiás (Fehoesg) manifestam profundo pesar pelo falecimento do Dr. Anis Rassi. O velírio do cardiologista Anis Rassi será  no Cemitério Jardim das Palmeiras, das 10 às 14h e o sepultamento será às 15 h no Cemitério Santana.

Velório do médico Anis Rassi começa às 10h e sepultamento será às 15h