FolhaPress

Angelina Jolie entra na Justiça para cortar laços empresariais com Brad Pitt

Segundo o TMZ, a estrela de Hollywood quer desvincular do ator o mais rápido possível

Angelina Jolie entra na Justiça para cortar laços empresariais com Brad Pitt
(Foto: Reprodução)

A atriz Angelina Jolie, 46, entrou em contato com a Justiça para encerrar todas as parcerias comerciais que ainda tem com seu ex-marido, Brad Pitt, 57. Segundo o TMZ, a estrela de Hollywood quer desvincular do ator o mais rápido possível.

Ela quer inclusive desfazer a sociedade da Nouvel LCC, uma vinícola francesa que pertence aos dois. No entanto, o TMZ afirma que os advogados de Pitt gostariam de realizar o processo de forma amigável, sem envolver a Justiça nisso.

Porém, a artista quer acelerar a compra da vinícola quanto antes, e entrou com uma petição na última terça-feira (6), solicitando que um juiz removesse a ordem de restrição temporária de seus bens, sendo colocada em prática quando o divórcio foi encaminhado.

Essa prática é comum na Justiça norte-americana e impede que as partes envolvidas façam decisões financeiras que possam prejudicar o outro durante o processo de separação. Apesar de estarem legalmente divorciados desde 2018, Jolie e Pitt ainda não chegaram a um acordo sobre seus bens e a custódia dos filhos.

O pedido da atriz aconteceu após uma pessoa se interessar em comprar a propriedade. “Depois de todos esses anos tentando se livrar de ser parceria de negócios de seu ex-marido em termos financeiros aceitáveis, a Sra. Jolie está extremamente desejosa de fechar o acordo pendente para a venda de Nouvel, LLC”, disseram os advogados de Jolie.

A vinícola francesa foi comprada pelo casal em 2011, por US$ 60 milhões, cerca de R$ 316 milhões na cotação atual.

le fica localizado em Provença, na França, e a equipe da artista alega que a propriedade era exclusivamente dela, já que foi comprada antes do casamento, que ocorreu em 2014. Uma nova audiência será realizada em 22 de setembro.

Recentemente a atriz criticou o juiz John Ouderkirk do processo que decidiu a custódia dos filhos dela e de Brad Pitt durante o divórcio. Ela diz que não teve um julgamento justo porque o magistrado se recusou a permitir que seus filhos testemunhassem no divórcio.

Jolie tentou desqualificar o juiz ao dizer que ele se recusou a ouvir evidências relevantes para a segurança e o bem-estar das crianças antes de emitir uma decisão provisória. Os documentos não detalham quais podem ser essas evidências.

“O juiz Ouderkirk negou à senhora Jolie um julgamento justo, excluindo indevidamente suas evidências relevantes para a saúde, segurança e bem-estar das crianças, evidências críticas para fazer seu caso”, segundo arquivamento no Segundo Tribunal Distrital de Apelação da Califórnia.

A atriz também disse que o juiz “falhou em considerar adequadamente” uma seção do código dos tribunais da Califórnia, que diz que é prejudicial ao melhor interesse da criança se a custódia for concedida a uma pessoa com histórico de violência doméstica. Mas o pedido não deu detalhes sobre o que ela estava se referindo.

RELEMBRE O DIVÓRCIO

Jolie pediu o divórcio de Pitt em 2016, dias depois de um desentendimento durante um vôo privado que transportava os atores e seus filhos da França para Los Angeles. Pitt foi acusado de abusar de seu filho, na época com 15 anos, durante o vôo.

As investigações dos funcionários do bem-estar infantil e do FBI foram encerradas sem nenhuma acusação contra o ator. O advogado de Jolie disse na época que ela pediu o divórcio “para a saúde da família”.

Seu novo processo diz que o juiz “se recusou a ouvir a opinião dos adolescentes menores sobre suas experiências, necessidades ou desejos quanto ao seu destino de custódia”, citando um código da Califórnia que diz que uma criança com 14 anos ou mais deve ser autorizada a testemunhar se ela quiser.

Três dos seis filhos de Jolie e Pitt são adolescentes, Pax de 17 anos, Zahara de 16 anos e Shiloh de 14 anos. O mais velho, Maddox, tem 19 anos e não está sujeito à decisão de custódia. Eles também têm os gêmeos, Vivienne e Knox, de 12 anos

Os advogados de Pitt disseram que o juiz conduziu um extenso processo nos últimos seis meses de maneira completa e justa ” [Ele] chegou a uma decisão provisória e ordem após ouvir especialistas e testemunhas perceptíveis”.

O processo de Pitt disse que o juiz considerou que o testemunho de Jolie “faltou credibilidade em muitas áreas importantes, e a ordem de custódia existente entre as partes deve ser modificada, a pedido do senhor. Pitt, no melhor interesse das crianças”.

Diz que as objeções de Jolie e mais atrasos em chegar a um acordo “trariam sérios danos às crianças, que terão mais permanência e estabilidade negadas”. Não está claro qual é o acordo de custódia atual porque o tribunal sela a maioria dos arquivos.

Quando o processo de divórcio começou, Jolie buscou a custódia primária, que significa que os filhos viveriam mais da metade do tempo com ela. Mas foram feitas mudanças que não foram divulgadas publicamente. Pitt buscou a custódia conjunta. Os advogados dos atores se recusaram a comentar os novos documentos.

Jolie tentou desqualificar Ouderkirk, um juiz particular que ela e Pitt escolheram para manter sua privacidade, argumentando que ele tem uma relação comercial imprópria com um dos advogados de Pitt. Ela disse no arquivamento que se a decisão provisória de custódia for finalizada por Ouderkirk, ela irá apelar.

Jolie e Pitt estiveram entre os casais mais proeminentes de Hollywood por 12 anos. Eles estavam casados há dois anos quando Jolie pediu o divórcio. Eles foram declarados divorciados em abril de 2019, depois que seus advogados pediram uma sentença que permitia que um casal fosse declarado solteiro enquanto outras questões permaneciam, incluindo finanças e a custódia dos filhos.