Foragido

André Daher, condenado por roubo, foge horas depois de ganhar progressão de regime

De acordo com a DGAP, após decisão judicial, foi instalada tornozeleira eletrônica nele, que foi rompida por André horas depois


Joao Paulo Alexandre
Do Mais Goiás | Em: 15/06/2019 às 10:16:33

André ficou conhecido após render quatro policiais e ordenar crimes de dento da cadeia (Foto: Divulgação/DGAP)
André ficou conhecido após render quatro policiais e ordenar crimes de dento da cadeia (Foto: Divulgação/DGAP)

André Daher Elias, de 30 anos, está foragido desde a tarde desta sexta-feira (14). A informação é da Diretoria-Geral de Administração Penitenciária (DGAP). Ele, que é tido pela polícia como especialista em roubo de carros de luxos, cumpria pena pelo crime e fugiu momentos depois que o Poder Judiciário determinar a progressão do regime fechado para o semiaberto – regime em que o detento sai para trabalhar e volta para pernoitar na prisão.

A DGAP destaca que André rompeu a tornozeleira eletrônica que havia sido instalada nele logo após a decisão. O órgão afirma que o Judiciário já está ciente da fuga e pede para que qualquer pessoa que tenha informação sobre o paradeiro do fugitivo entre em contato com a Polícia Civil pelo 197; para a Polícia Militar pelo 190 ou para a Ouvidoria da Secretaria de Segurança Pública pelo 062 3201-1212. A denúncia é anônima.

Histórico

Especialista em roubar veículos de alto luxo, preferencialmente os importados, André Daher ganhou notoriedade nacional na noite de 25 de março de 2011. No Setor Village Santa Rita, em Aparecida de Goiânia, ele e mais quatro comparsas renderam quatro PMs que haviam estacionado duas viaturas na rua onde um veículo roubado estava abandonado. Eles deixaram os policiais algemados e roubaram as quatro pistolas que usavam. Dois dias depois abandonaram as armas em um matagal no Residencial Eldorado Oeste, em Goiânia.

Capturado no Rio de Janeiro (RJ) duas semanas após render os PMs, André Daher foi transferido para Goiânia, cumpriu parte da pena por roubo e tráfico no Complexo Prisional de Aparecida de Goiânia, mas em abril de 2014, menos de um mês após ser solto, foi preso novamente com um carro roubado após perseguição e troca de tiros na Avenida 85, no Setor Bueno. Desde então, ele estava recolhido na Penitenciária Coronel Odernir Guimarães (POG).

Posteriormente, cinco pessoas, dentre elas uma estudante de Direito, foram presas em fevereiro de 2018, em Goiânia, acusadas de integrar uma quadrilha especializada em roubos de carros, comércios e pousadas. Segundo a polícia, os crimes eram ordenados por André, já de dentro do Complexo Prisional de Aparecida de Goiânia.