Carinho

Amor torna o sexo mais prazeroso para as mulheres, diz estudo

O trabalho foi apresentado nesta terça-feira no encontro anual da American Sociological Association.




O amor e o compromisso podem tornar o sexo fisicamente mais prazeroso para as mulheres, sugere um novo estudo realizado na Penn State Abington, nos Estados Unidos. O trabalho foi apresentado nesta terça-feira no encontro anual da American Sociological Association.

Em uma série de entrevistas, 95 voluntárias entre 20 e 68 anos, todas heterossexuais, disseram acreditar que o amor é necessário para a máxima satisfação em relações sexuais e no casamento. Os benefícios de ser apaixonada pelo parceiro sexual são mais do que emocionais: para a maioria das mulheres, o sentimento tornou o sexo fisicamente mais agradável.

Aquelas que amam seus parceiros sexuais também afirmaram se sentir menos inibidas e mais dispostas a explorar a própria sexualidade.

Enquanto 50 participantes da pesquisa disseram que o amor não é necessário para o sexo, apenas 18 acreditam, de forma inequívoca, que o sentimento é desnecessário para o ato sexual.

Para a autora do estudo, a socióloga Beth Montemurro, os resultados do estudo demonstram como as mulheres são ensinadas pela sociedade a ver o sexo como uma expressão do amor. Apesar de décadas de luta pelos direitos femininos e da conquista de uma maior consciência sobre o desejo sexual delas, a mídia continua enviando mensagens culturais fortes para as mulheres ligarem o sexo ao amor e serem críticas com aquelas que têm relações casuais.