Acidente

Amigo lamenta morte de estudante por queda de bicicleta em quebra-molas

Lombada não estava sinalizada. Larissa se desequilibrou e bateu a cabeça no chão da ciclovia da GO-060. Amigo, que estava junto, teme novos acidentes


Samuel straioto
Do Mais Goiás | Em: 02/08/2020 às 17:04:35

Larissa Egito momentos antes do acidente. Foto: Tiago Moura.
Larissa Egito momentos antes do acidente. Foto: Tiago Moura.

Um acidente em um quebra-molas sem sinalização tirou a vida da estudante de Direito Larissa de Jesus do Egito, de 21 anos. O caso ocorreu na noite da última quarta-feira (29), na ciclovia da GO-060, próximo ao Terminal Padre Pelágio, em Goiânia. Amigo dela, Tiago Moura, presenciou a queda . Segundo ele, além da perda, o lamento é maior porque o óbito poderia ter sido evitado.

Na ocasião, Larissa capotou a bicicleta e bateu a cabeça no asfalto. Mesmo usando equipamentos de segurança, acabou sofrendo traumatismo craniano e insuficiência respiratória. Ela foi socorrida, mas morreu no hospital.

A queda, segundo Tiato, foi provocada por falta de sinalização. Ele descreve que o trecho fica em uma decida onde ciclistas costuma trafegar em alta velocidade. “Na subida a gente vai devagar e aproveitamos para ir mais rápido na descida. O quebra-molas é de difícil visualização mesmo”, explica ele, que teme novos óbitos no local.

Insegurança

O amigo revela que Larissa estava animada com o ciclismo. Ela praticava a modalidade há quatro meses e, segundo ele, contagiava amigos para que também tivessem comportamentos saudáveis. Agora, com a morte da ciclista, ele afirma estar com medo de se tornar uma vítima da insegurança nas ciclovias.

“Estou pensando colocar minha bicicleta pra vender. Já pratico outros esportes, como corrida e futevôlei. Esse acidente diminuiu a vontade de continuar com o ciclismo”, reforça.

Larissa e Tiago momentos antes do acidente. Foto: Tiago Moura.

Problemas

O local onde Larissa se acidentou não é o único que apresenta problemas nas ciclovias às margens das rodovias na saída de Goiânia. Um exemplo é o km 22 da GO-020, trecho entre Senador Canedo e Bela Vista de Goiás, próximo ao Rio Caldas. No local há uma erosão que representa risco de acidentes, principalmente para ciclistas.

Em nota, a Agência Goiana de Infraestrutura e Transportes (Goinfra) responsável pelas rodovias, informou que a GO-060 foi reformada recentemente e que em breve a sinalização será feita, dependendo da conclusão do processo licitatório para contratação de empresa. Quanto à iluminação, a agência alegou que a responsabilidade é dos municípios.

Em Goiânia, o órgão responsável por gerir a área de iluminação pública é a Secretaria Municipal de Infraestrutura e Serviços Públicos (Seinfra). O órgão vai fazer uma vistoria na GO-060 para verificar o problemas de iluminação.

Quebra-molas de difícil visualização provocou acidente com Larissa. Foto: Tiago Moura.

Veja a nota da Goinfra

“A propósito da Rodovia dos Romeiros, a Agência Goiana de Infraestrutura e Transportes (Goinfra) informa que a via foi reformada recentemente e que a sinalização será executada em breve, tão logo seja concluído o processo licitatório para contratação de empresa especializada para execução dos serviços de sinalização vertical e horizontal.

A propósito da iluminação pública no perímetro urbano das rodovias estaduais, a Goinfra esclarece que a responsabilidade dos serviços é do município de abrangência, de acordo com o artigo 218 da Resolução Normativa da ANEEL nº 414/2010, fundamentado no Art. 30, V, da Constituição Federal, e no art. 24 do Código de Trânsito Brasileiro (CTB), que determina a transferência do sistema de iluminação pública aos municípios”.