Amazon é denunciada por vender produtos de grupos supremacistas

Um porta-voz informou que a empresa já está tomando as providências necessárias para corrigir o erro

Os grupos americanos Centro de Ação para Raça e Economia (ACRE) e Parceria Para Famílias Trabalhadoras publicaram um levantamento que revelou que a gigante varejista, nos EUA, está vendendo diversos produtos supremacistas.

Os produtos, de músicas a livros, possuem conteúdo racista, antissemita e islamofóbico. Isso vai contra as políticas da empresa que supostamente não deveria permitir qualquer tipo de conteúdo que promova preconceito ou violência ser vendido por seus canais.

Durante o levantamento, eles encontraram discos de bandas nazistas, bandeiras e outras quinquilharias nazistas ou com mensagem anti grupos étnicos e identitários, como contra gays, judeus e negros.

Outro achado problemático foram livros em formato físico e digital que promoviam deliberadamente violência contra esses grupos e/ou que pregavam superioridade racial branca.

Segundo o Washington Post, um porta-voz da empresa disse que a denúncia foi anotada e eles estão tirando tudo do ar. Mesmo assim, o ACRE criticou que a posição da empresa têm sido reativa, e não proativa: você precisa ver as coisas erradas e denunciar quando, na verdade, estes produtos nunca deviam ter entrado lá.