ONZE DIAS DE UTI

“Alívio enorme”, diz mãe após jovem empurrado da borda de piscina receber alta

Já com Luiz em casa, a professora de 45, Karina Romano, chegou a acreditar que perderia o filho


Ton Paulo
Do Mais Goiás | Em: 07/01/2021 às 15:47:23

Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

Depois de 11 dias internado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e quatro na enfermaria do Hospital Nossa Senhora Aparecida, em Caldas Novas, o empresário Luiz Henrique Romano, de 22 anos, finalmente recebeu alta foi levado, na manhã desta quinta (7), para o município de Morrinhos, onde mora com a família. O jovem ficou gravemente ferido após ser empurrado da borda infinita de uma piscina e cair de uma altura de cerca de 5 metros, no dia 24 de dezembro. Já com o filho em casa, a professora de 45 anos e mãe de Luiz, Karina Romano, diz estar aliviada. Ela chegou a pensar que perderia o filho.

Um cordão de carros acompanhou a ambulância que deixou Luiz Henrique em casa, na manhã desta quinta-feira, em Morrinhos. Ao Mais Goiás, Karina contou que a recomendação médica é que o filho converse o mínimo possível e coma somente alimentos pastosos (devido aos pinos que precisaram ser colocados em seu maxilar). “Foram nove pinos no maxilar e sete na clavícula”, revela.

Segundo a professora, além do maxilar e clavícula, o filho também teve 8 costelas quebradas, hemorragia no pulmão e uma fratura na perna esquerda que demandará sessões de fisioterapia de agora em diante. O jovem ainda sente muitas dores, de acordo com a mãe, inclusive para respirar.

Veja o momento em que Luiz Henrique chega em casa:

Alívio

Com Luiz já sob seus cuidados, Karina conta que sente “um alívio enorme” após 15 dias de internação do filho. No entanto, a professora afirma que chegou a esperar o pior. “Quando o Luiz Henrique foi intubado e sedado, eu achei que ele não sairia mais do hospital. Teve uma enfermeira que eu abracei e ela que me socorreu, me colocou pra cima, me disse que ele iria sair dessa”, recorda, com a voz embargada.

Ela revela que o filho evita lembrar do que aconteceu e tocar no assunto, uma vez que o traumas vão muito além dos físicos. “Quando chegava alguém pra conversar comigo [sobre a queda que levou à internação], uma enfermeira, ele falava: ‘Mãe, eu não quero escutar’. Ele pedia para eu sair do quarto para não falar perto dele”, relembra.

Hoje, a mãe de Luiz relata que está focada no principal, que é ter seu filho de volta em casa. No entanto, garante que vai continuar cobrando Justiça. “Eu queria que as autoridades realmente olhassem para uma mãe, uma família que perdeu o Natal, meu aniversário, o final de ano com seu filho, para o nosso sofrimento, para o que passamos”, conclui.

Relembre o caso

Uma confusão registrada no dia 24 de dezembro do ano passado, véspera de Natal, no sobrado de um condomínio fechado, em Caldas Novas, no sul de Goiás, terminou Luiz Henrique Romano internado em estado grave na UTI. Segundo a Polícia Civil, após se desentender com os convidados da festa que ocorria no imóvel, Luiz foi empurrado da sacada e caiu de uma altura de 5 metros.

O jovem estava no local a convite de amigas. Durante um desentendimento com outros presentes, Luiz foi empurrado para dentro da piscina e uma briga teve início. Um dos envolvidos chega a dar um golpe ‘mata-leão’ na vítima, que consegue se desencilhar.

No entanto, no momento em que saía da piscina, que ficava no segundo andar do sobrado e tinha borda infinita, Luiz foi empurrado e caiu de uma altura de cerca de 5 metros. O principal suspeito é o empresário Sérgio Júnior, de 24 anos, que aparece em imagens de câmeras de segurança praticando o ato.

Sérgio também é citado em uma investigação do homicídio do empresário e ex-secretário de Infraestrutura de Goiás, Luiz Darlan Oliveira, ocorrida em 2017.

O caso é investigado pela Polícia Civil de Goiás como tentativa de homicídio.