Alcolumbre pode segurar sabatina de Mendonça ao STF para 2023

Segundo CNN Brasil, presidente da CCJ do Senado disse a aliados que vai segurar a análise do nome do ex-chefe da AGU

Alcolumbre pode segurar sabatina de Mendonça ao STF para 2023
Alcolumbre pode segurar sabatina de Mendonça ao STF para 2023 (Foto: José Cruz - Agência Brasil)

Presidente da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) no Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP) disse a aliados que deve segurar a sabatina do nome de André Mendonça para a análise que pode levá-lo a ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) até 2023. A informação foi apurada pela CNN Brasil.

A posição veio após o ministro do STF, Ricardo Lewandokski, negar, na segunda-feira (11), uma ação que obrigava o Senado a marcar a sabatina do ex-chefe da Advocacia Geral da União (AGU).

Caso Alcolumbre mantenha a “decisão” de adiar a sabatina, caberá ao presidente da próxima gestão indicar um novo ocupante para a vaga de Marco Aurélio Mello. Vale lembrar, o Bolsonaro (sem partido) indicou André Mendonça há três meses.

Mendonça: “terrivelmente evangélico”

Mendonça é a segunda indicação de Bolsonaro. A primeira foi Kassio Nunes Marques para a vaga do ex-ministro Celso de Mello. Já o ex-chefe da AGU ocuparia (ou ocupará) a vaga destinada a um ministro “terrivelmente evangélico” – o próprio presidente já o descreveu dessa forma.

Vale lembrar, a promessa foi feita em julho de 2019. “O Estado é laico, mas nós somos cristãos. Ou, para plagiar minha querida Damares: nós tomos terrivelmente cristãos. E esse espírito deve estar presente em todos os poderes. Por isso, meu compromisso. Poderei indicar dois ministros para o STF. Um deles será terrivelmente evangélico”, disse à época, durante culto da Santa Ceia realizado pela Frente Parlamentar Evangélica na Câmara Federal.