Pesquisa

Agro gerou mais de 46 mil empregos formais em maio

Segundo o Caged, foi o melhor desempenho entre os setores que tiveram saldo positivo de postos de trabalho. Em Goiás, setor registrou 1.319 empregos


Karla Araujo
Do Mais Goiás | Em: 21/06/2017 às 18:58:51

O setor agropecuário foi o terceiro maior gerador de vagas de trabalho (Foto: Carlos Costa)
O setor agropecuário foi o terceiro maior gerador de vagas de trabalho (Foto: Carlos Costa)

A agropecuária brasileira encerrou o mês de maio com saldo positivo de 46.049 mil postos de trabalho com carteira assinada e 77 mil no acumulado do ano. A informação foi divulgada na terça-feira (20), pelo Ministério do Trabalho. Já em Goiás, o setor agropecuário foi o terceiro maior gerador de vagas de trabalho, com um saldo de 1.319 vagas a mais do que o mês de abril. Os números são do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged).

“No entanto, quando se considera os últimos 12 meses, foi o setor que mais gerou empregos em Goiás, mais de 4,5 mil postos de trabalho, um crescimento de mais de 4,5% em relação ao acumulado dos 12 meses anteriores”, destaca o gerente de Estudos Técnicos e Econômicos da Federação da Agricultura e Pecuária de Goiás (Faeg), Edson Novaes. Segundo ele, os setores que mais contribuíram com a geração de empregos em Goiás, no mês de maio foi o setor de cana-de-açúcar por conta do período de colheita e da produção de leite, que devido ao período da entressafra exige mais mão de obra para o trato do rebanho.

A nível nacional, os segmentos de café em Minas Gerais, cana-de-açúcar em São Paulo e Rio de Janeiro e laranja em São Paulo foram os principais responsáveis pelo desempenho.

Além do agro, tiveram desempenho positivo os segmentos de serviços, indústria de transformação e administração pública. Os quatro compensaram o fechamento de vagas no Comércio, Construção Civil, Indústria Extrativista Mineral e Serviços Industriais de Utilidade Pública.

Segundo o governo, o maior saldo positivo de empregos em maio veio do campo, ajudando no resultado geral da economia. Na contabilidade de todos os setores no país, as contratações superaram as demissões em 34,253 mil. Foi o segundo mês seguido de geração de empregos neste ano.

Para o Ministério do Trabalho, os números sinalizam que o mercado está se recuperando das perdas causadas pela crise econômica. No acumulado dos primeiros cinco meses do ano, o Caged mostra um saldo positivo de 48,543 mil vagas com carteira assinada em todo o país.