Economia

Agrodefesa intensifica a fiscalização do transporte de soja em Goiás

Para as cargas que entrarem em Goiás, as fiscalizações serão feitas, principalmente, nos postos fixos localizados nas fronteiras com outros Estados


Goiás Agora

Do Goiás Agora | Em: 10/03/2017 às 11:21:46


Fiscalização quer impedir o semeio involuntário de sementes que nascem às margens das rodovias e que causa a ferrugem asiática da soja. (Foto: Reprodução)
Fiscalização quer impedir o semeio involuntário de sementes que nascem às margens das rodovias e que causa a ferrugem asiática da soja. (Foto: Reprodução)

A partir deste ano, a Agência Goiana de Defesa Agropecuária (Agrodefesa) vai intensificar a fiscalização do transporte de grãos de soja. A colheita da safra já começou e, durante este período e sua comercialização, é comum encontrar caminhões transportando cargas mal-acondicionadas e com derramamento de grãos pelas rodovias e estradas vicinais. Visando controlar este tipo de transporte e atendendo demanda da cadeia produtiva de soja em Goiás, a Agência incluiu na Instrução Normativa Estadual nº 8, de 6 de novembro de 2014, a regulamentação do transporte de cargas de soja em Goiás.

Com a medida, a Agrodefesa estará impedindo o semeio involuntário de sementes, que nascem às margens das rodovias e resulta em fonte de inóculo para o fungo Phakopsora pachyrhizi, agente causal da ferrugem asiática da soja; além de reduzir as perdas com o transporte inadequado dos grãos que, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), podem chegar a 15% da produção, o que corresponde a mais de 1,5 milhão de toneladas, gerando um prejuízo estimado em mais de R$ 1,6 bilhão aos produtores goianos.

A Agrodefesa está fiscalizando o transporte de cargas de soja no Estado. Para as cargas que entrarem em Goiás, as fiscalizações serão feitas, principalmente, nos postos fixos localizados nas fronteiras com outros Estados, além das unidades móveis que atuam em pontos estratégicos não determinados. Segundo o gerente de Fiscalização Vegetal da Agrodefesa, Márcio Antônio de Oliveira e Silva, o descumprimento acarretará em multa de R$ 2.500,00 para o transportador. “Até o momento estávamos realizando um trabalho de orientação e educação sanitária, a partir deste ano começaremos a multar quem estiver transportando de maneira inadequada”, alerta o gerente.

O coordenador do Programa de Soja da Gerência de Sanidade Vegetal da Agrodefesa, o engenheiro-agrônomo Mário Sérgio de Oliveira, explica que um acondicionamento adequado da soja é quando não há queda de grãos. “As cargas de soja deverão estar acondicionadas adequadamente, de forma que não ocorra o derramamento da carga durante o itinerário, e o acondicionamento adequado das cargas é de responsabilidade dos transportadores”, explica o coordenador.