Fuga

Agentes penitenciários descobrem túnel em presídio para fuga, no Rio

Também foram encontrados munições, serras, celulares e modens


Agência Brasil
Agência Brasil
Do Agência Brasil | Em: 01/07/2019 às 19:30:29

(Foto: Arquivo/Agência Brasil)
(Foto: Arquivo/Agência Brasil)

Um túnel com 10 metros de profundidade foi descoberto durante vistoria de agentes da Secretaria Estadual de Administração Penitenciária (Seap) na área externa do Instituto Penal Vicente Piragibe, no Complexo de Gericinó, zona oeste do Rio de Janeiro. O acesso, que seria utilizado para uma tentativa de fuga dos presos, foi preenchido com concreto.

Os agentes penitenciários também encontraram tonéis enterrados com 73 munições para pistola, espingarda e revólver, além de 10 telefones celulares, três modens, um aparelho Wi-Fi e quatro serras.

OPERAÇÃO

A ação faz parte da operação “Asfixia”, que envolveu servidores da Subsecretaria Adjunta de Gestão Operacional e da Superintendência de Segurança e também contou com apoio da Corregedoria e da Superintendência de Inteligência (Sispen).

O Instituto Penal Vicente Piragibe tem cerca de 10 mil metros quadrados e atende presos do regime semiaberto. Nesse tipo de cumprimento de pena, a pessoa tem o direito de trabalhar e fazer cursos fora da prisão durante o dia, mas deve retornar à unidade penitenciária à noite. Além disso, o detento tem o benefício de reduzir o tempo de pena através do trabalho: um dia é reduzido a cada três dias trabalhados. Apesar dessas possibilidades, muitos dos presos não têm a autorização para sair.

A Seap informou, por meio de nota, que desde o início da atual administração, a secretaria vem trabalhando arduamente para combater qualquer tipo de irregularidade dentro das unidades prisionais, com destaque para três operações que foram iniciadas neste ano: ‘Asfixia’, ‘Iscariotes’ e ‘Bloqueio’.

“É importante afirmar que todas as operações são realizadas pelo próprio corpo funcional da Seap. A Operação Asfixia, realizada pelos inspetores penitenciários, já apreendeu em todo o Estado, de janeiro a maio deste ano, 5.339 telefones celulares”.