Resposta

Advogado preso com carro roubado disse que foi enganado por comprador

Thiago Húscar disse que jamais comprou nada roubado e nem estava com documento falso


Artur Dias
Do Mais Goiás | Em: 26/05/2019 às 13:14:03

Advogado e o carro foram encaminhados para a Polícia Civil (Foto: Divulgação/ PM)
Advogado e o carro foram encaminhados para a Polícia Civil (Foto: Divulgação/ PM)

O advogado Thiago Húscar Santana, de 38 anos, preso na noite deste sábado (25), com um veículo roubado em Aparecida de Goiânia, afirma que foi enganado por um estelionatário.  Em entrevista ao Mais Goiás, ele ressaltou que jamais comprou nada roubado e nem estava com documento falso.

Thiago informou que achou um anúncio do veículo em questão na internet em dezembro. Ele fez as negociações com o dono, que afirmava ser de Anápolis. O advogado disse ainda que verificou toda a situação legal do carro e que, após ter fechado o negócio, pegou uma procuração com o dono para realizar a transferência para seu nome. Ele afirma que tinha posse de toda a documentação, mas que ela está hoje com a polícia.

O advogado fez também questionamentos com relação à abordagem feita pela polícia. “Fui abordado por uma equipe do Comando de Operações de Divisas (COD), dentro de Goiânia. Eles revistaram todo o meu carro perguntando se havia armas ou drogas. Depois me levaram falando que o carro era adulterado”, disse.

Thiago afirmou também que não havia como comprovar que a documentação que ele portava era falsa, como afirmaram os policiais. “Não foi feita perícia para confirmar se o carro, a procuração ou documento do carro eram adulterados”.

Por fim, o advogado apresentou ao Mais Goiás uma certidão de antecedentes criminais para mostrar que não responde por nenhum crime. “Como que eu respondo por receptação e tráfico de influência, se na certidão diz que nada consta?”

Entenda

Segundo o capitão Remyson Castanheira, o advogado estava com um veículo com placas clonadas e com registro de roubo no Ceará. Durante a abordagem, Thiago teria apresentado uma procuração falsa de propriedade do veículo. “Assim que abordamos ele, nós verificamos que o carro estava com as placas clonadas. Pedimos o CRLV, e ele nos apresentou um documento falso”, relata o militar.

Os policiais consultaram a placa do veículo e entrou em contato com o proprietário por telefone. O dono informou aos policiais que o carro dele estava na garagem e que a placa do veículo poderia estar clonada. “Ele então apresentou uma procuração falsa alegando que tinha direito a propriedade do veículo”, diz Remyson.

Thiago Húscar foi abordado por volta de 22 horas no Jardim Olímpico, em Aparecida de Goiânia. Segundo a corporação, ele possui outros antecedentes por tráfico de influência e receptação. Ele liberado após pagamento de fiança.