Defesa

Advogado de Marconi afirma que vai demonstrar que normatização de diárias é legal

Defesa do ex-governador informa que vai recorrer da decisão e que alterações não configuram ato de improbidade administrativa

Política

Thais Lobo
Do Mais Goiás | Em: 16/10/2018 às 09:16:45

(Foto: Wilson Dias/ABr)
(Foto: Wilson Dias/ABr)

Advogado do ex-governador Marconi Perillo, João Paulo Brzezinski afirmou nesta segunda-feira (15), em nota, que vai recorrer da decisão da Justiça relacionada à normatização das diárias de servidores do Poder Executivo estadual e demonstrar que o procedimento foi legal e não configura ato de improbidade administrativa.

“Vamos demonstrar tecnicamente que as medidas não configuram desvio de finalidade, não lesaram o patrimônio público e, portanto, não configuram ato de improbidade administrativa”, afirmou o advogado de Marconi na nota.

“Conforme ficará demonstrado, foi dada aos secretários de Estado a prerrogativa anterior de que os servidores que os acompanhassem em atividades cobertas por diárias tivessem uma complementação de 25% no valor da diária em determinadas circunstâncias”, disse João Paulo Brzezinski.

O advogado disse ainda que “o decreto questionado (número 9.026, de 18 de agosto de 2017) serviu tão somente para estender essa prerrogativa para os servidores que acompanharem governador e vice-governador nas atividades oficiais de agenda, mas estes permaneceram sem direito ao recebimento de diárias”. Leia a íntegra da nota.

NOTA DO ADVOGADO DO EX-GOVERNADOR MARCONI PERILLO

A defesa do ex-governador Marconi Perillo vai recorrer da decisão e demonstrará, tecnicamente, que as medidas em questão não configuram desvio de finalidade, não lesaram o patrimônio público e que, portanto, não configuram ato de improbidade administrativa.

 
Conforme ficará demonstrado, foi dada aos secretários de Estado a prerrogativa anterior de que os servidores que os acompanhassem em atividades cobertas por diárias tivessem uma complementação de 25% no valor da diária em determinadas circunstâncias.
 
O decreto questionado (número 9.026, de 18 de agosto de 2017) serviu tão somente para estender essa prerrogativa para os servidores que acompanharem governador e vice-governador nas atividades oficiais de agenda, mas estes permaneceram sem direito ao recebimento de diárias.
 
João Paulo Brzezinski