Acidente

Adolescente morre após chocar motocicleta contra mureta na BR-414, em Niquelândia

Menino de 14 anos foi arremessado dentro de um córrego, onde foi encontrado pelos próprios pais que o levaram para o hospital


Hugo Oliveira
Do Mais Goiás | Em: 27/05/2018 às 11:12:21

Após o impacto, garoto foi arremessado para um córrego e moto se arrastou por cerca de 40 metros (Foto: reprodução/PRF)
Após o impacto, garoto foi arremessado para um córrego e moto se arrastou por cerca de 40 metros (Foto: reprodução/PRF)

Um garoto de 14 anos morreu após colidir a motocicleta que pilotava contra uma mureta no quilômetro 239,9 da BR-414, no município de Niquelândia. O acidente ocorreu por volta das 4h da madrugada deste domingo (27) e, com a força do impacto, o adolescente foi arremessado para dentro de um córrego. A moto se arrastou no asfalto por mais de 40 metros. Encontrado por familiares, o menino foi conduzido ao Hospital Municipal de Niquelândia, onde o óbito foi constatado.

Segundo informações da Polícia Rodoviária Federal (PRF), pais do menino afirmaram que ele saiu na noite de sábado (26) para ir ao povoado de Faz Tudo, mas nunca retornou. Por volta das 5h, o pai percebeu que o garoto não havia chegado e, na companhia da esposa, decidiu sair em busca do filho.

Após percorrerem 30 quilômetros, o casal avistou a motocicleta do rapaz na pista e, após buscas nas imediações, localizaram o filho, ainda com vida, agonizando no córrego. O garoto foi colocado no carro da família e levado ao referido hospital.

Garoto trafegava para o povoado de Faz Tudo no momento do acidente (Foto: reprodução/PRF)

De acordo com o inspetor Newton Morais, o pai afirmou em depoimento que o próprio garoto havia adquirido o veículo. “O pai acordou no meio da noite, sentiu um arrepio, e, como o garoto não tinha chegado, resolveu ir atrás e o encontrou. Eles são trabalhadores rurais. Esse tipo de situação, de menores dirigirem veículos, é bem comum no interior. Pais devem ficar alertas para os perigos dessa prática”, observa.

De acordo com a diretora administrativa da unidade de saúde, Valdete Gonçalves Santiago, os familiares chegaram a acionar o Corpo de Bombeiros, mas ficaram preocupados com a demora da equipe. “Decidiram trazê-lo eles mesmos. Deram entrada no hospital por volta das 4h30 e o garoto estava todo molhado e já sem os sinais vitais. Segundo a equipe, o óbito pode ter ocorrido 20 minutos antes de chegarem à unidade”.