Cidades

Adolescente é apreendido após ameaçar atacar escola municipal, em Goiânia

Prints de uma conversa na rede social repercutiram em outros grupos na qual o menor dizia que "o massacre está mais perto do que vocês pensam"


Joao Paulo Alexandre

Do Mais Goiás | Em: 25/03/2019 às 19:55:30


Após a apreensão em flagrante, menores foram levados para a Depai (Foto: Reprodução)
Após a apreensão em flagrante, menores foram levados para a Depai (Foto: Reprodução)

Um adolescente de 12 anos foi apreendido, na manhã desta segunda-feira (25), após coagir a suposta namorada e ameaçar um ataque à Escola Municipal Jesuína de Abreu, no Parque Amazônia, em Goiânia. Segundo a Polícia Civil (PC), ele teria tido ajuda de um primo e um amigo da vítima, que também estudam na instituição.

Conversa no Whatsapp mostra que a menor tentava terminar o relacionamento  e foi respondida pelo adolescente com “o massacre está mais perto do que vocês pensam” e que “ninguém vai escapar vivo, nem mesmo você”. A Guarda Civil recebeu denúncia e o menor foi levado para a Delegacia de Apuração de Atos Infracionais (Depai).

Conversa do adolescente que destaca ameaça de atacar a escola (Foto: Reprodução)

Outras conversas sobre o suposto ataque foram encontradas no celular do garoto, que alegou arrependimento. Uma audiência foi marcada no Ministério Público (MP-GO) e o rapaz será intimado a prestar esclarecimentos. Ele deve responder por ato análogo ao delito de apologia ao crime.  As informações são do titular da delegacia, Luiz Gonzaga Júnior.

O adolescente foi encaminhado para o Instituto Médico Legal (IML) para a fazer exame de corpo de delito.

Outros Casos

Após o ataque na Escola Estadual Raul Brasil, em Suzano (SP), diversas ocorrências de ameaças foram registradas pela Polícia Civil. No último dia 18, um menor de 17 anos foi detido com  materiais que seriam utilizados no ataque à escola que estudava, em Pontalina. Capa, máscara, desenhos, arco e flechas, arma de fogo e munições foram apreendidos.

No último dia 19, a Polícia Militar foi chamada no Colégio Estadual Drº Onerio Pereira Vieira em Quirinópolis, a 292 km de Goiânia, para investigar uma denúncia feita pela diretora da unidade de ensino. A funcionária alegou um jovem que estuda â noite publicou nas redes sociais sobre o massacre na escola de Suzano (SP). Ela afirmou que ele deixou transparecer que desejava fazer o mesmo no colégio onde estudava. Preocupados, os alunos fizeram prints das postagens e o caso repercutiu dentro e fora da instituição.

No mesmo dia, a PC apreendeu um adolescente, de 15 anos, após criar um grupo na internet e pedir para que outros alunos o ajudassem a conseguir armas de fogo. O armamento seria para fazer um suposto ataque no Colégio Estadual Moisés Santana, no município de Bom Jesus de Goiás.